Poder

Júnior Verde cria regras no transporte de caranguejo no MA

Um dos principais recursos pesqueiros do nosso Estado, o caranguejo – uçá (espécie que habita em zonas costeiras como os mangues e estuários) ganhou atenção especial do Ministério da Pesca e Aquicultura – MPA, que estabeleceu regras para o transporte dessas espécies no Maranhão e também no Pará, Piauí e Ceará.

O superintendente Júnior Verde.

O superintendente Júnior Verde.

As medidas tem como objetivo garantir a sustentabilidade extrativistaFoi espécie, pois gera emprego para milhares de marisqueiras, principalmente nas regiões Norte e Nordeste.

Foi criada em julho do ano passado uma medida normativa, chamada de Instrução Normativa Nº 09 – a IN, que estabeleceu normas para que o caranguejo-uçá seja transportado adequadamente para reduzir a mortalidade nesta etapa. Assim, os consumidores vão poder obter no mercado mais espécies vivas, inteiras e sadias.

Com a nova legislação, a carga de caranguejo deverá ser transportada em caixas plásticas vazadas, forradas com espuma de acolchoamento embebidas com água doce. Quando for por meio de transporte aquaviário, a carga deverá ser colocadas em caixas plásticas vazadas, sacos, paneiros, côfos ou acomodações que garantam a sobrevivência das espécies.

Segundo Júnior Verde, superintendente de pesca e aquicultura do Maranhão, essa instrução normativa resolve um problema histórico de desperdício e mortalidade dos caranguejos devido ao transporte inadequado. O desperdício chega a quase 50% de perca da carga de caranguejo conforme estudos realizados pela Embrapa.”

De acordo com dados do Ministério da Pesca e Aquicultura, antes a prática dos catadores era prender um caranguejo no outro para a venda ou entrega a distribuidores e comerciantes. A formação dos “amarrados” provocava um alto nível de estresse nos crustáceos, que ao se debaterem perdiam os apêndices e se tornavam agressivos. Assim, muitos deles acabavam mortos antes mesmo de serem comercializados. Além disso, os comerciantes empilhavam os caranguejos-uçá amarrados em caminhões abertos e cobertos com lona, fixadas com cordas de nylon. Assim os caranguejos eram pressionados uns contra os outros pra reduzir o volume da carga, esmagando a maioria que ficava nas camadas inferiores.

“Com a nova legislação, o transporte dos caranguejos-uçá em caixas vazadas trará ganhos ambientais e sociais, evitando o desperdício e agregando valor ao produto”, garante Júnior Verde.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários