Poder

Black Bloc é organização criminosa

Milton Corrêa da Costa

O lamentável incidente que resultou na morte cerebral ( caso de homicídio doloso) do cinegrafista Santiago Andrade, da TV Bandeirantes, causado por rojão ( explosivo pirotécnico) lançado por um manifestante, na tarde de 06/02, na Central do Brasil, no Rio, durante protesto violento, em razão de ações de vandalismo, comandadas pelo grupo radical Black Bloc, não mais nos deixa dúvida que estamos diante de uma organização criminosa, com ideais duvidosos, que se utiliza do anonimato dos rostos cobertos para destruir o patrimônio público e privado, impedir o direito de ir e vir da maioria, colocar sob risco a incolumidade de pessoas inocentes, agredir policiais e membros da imprensa, afrontar gravemente o estado democrático de direito. As forças de segurança precisam pois, cada vez mais, num ano de Copa do Mundo e de eleições, estar preparadas para enfrentar o radicalismo destruidor e agressivo de tais vândalos arruaceiros.

O aumento de pena para o crime de dano ao patrimônio, durante manifestações, tornando-o inafiançável, se faz urgentemente necessário, assim como o enquadramento dos integrantes do Black Bloc no crime de organização criminosa, que redundará em penas mais pesadas. A mídia-ninja e o grupo Anonymous, que protegem os Black Blocs e tentam divulgar somente os excessos policiais, se omitiram em colaborar com a investigação policial identificando o outro participante da agressão ao cinegrafista, num comportamento antidemocrático e contra a paz social.

Quem confessa que passou às mãos de outra pessoa o instrumento do crime á caracterizadamente co-partícipe do ato criminoso. As imagens não deixam dúvidas do envolvimento e conluio dos autores da explosão do rojão que resultou na tragédia presumida.Fabio Raposo, o primeiro a ser preso, já possui registros policiais por participação em manifestações violentas tendo sido flagrado fazendo uso de máscaras contra gases, um equipamento próprio de quem está preparado para atuar agressivamente junto com a turba em afronta à ordem pública. A prisão e responsabilização de todos os envolvidos direta e indiretamente no bárbaro crime se fazem absolutamente necessárias em nome da justiça e do estado democrático de direito. Cumpra-se. Aos inimigos da democracia o rigor da lei.

Milton Corrêa da Costa é tenente coronel da reserva da PM do Rio de Janeiro


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários