Poder

Guerreiro Jr abre mão da disputa pela presidência do TRE

Guerreiro Júnior.

Guerreiro Júnior.

Depois de muito tempo, uma disputa  para a presidência do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão parecia certa. O desembargador Guerreiro Jr. decidiu entrar no jogo para colocar fim à tradição que reinava na corte, prevendo a ascensão automática do vice-presidente ao fim do mandato do titular.

Com Guerreiro Jr na briga, o desembargador Froz Sobrinho, eleito vice-presidente do Tribunal em fevereiro, praticamente foi descartado da possibilidade de vir a presidir do TRE-MA. Quase todos davam como certa a vitória de Guerreiro.

Mas, nos bastidores, Froz trabalhou para garantir que a tradição permanecesse. Os primeiros sinais de que Guerreiro estava perdendo a batalha, veio há duas semanas, quando a juíza Alice Rocha, ligada a Froz Sobrinho,  foi eleita por 12 votos contra 10, no Tribunal de Justiça, para compor o TRE na cota dos juízes de direito. Alice venceu  disputando justamente contra a juíza Francisca Galiza, tida como candidata de Guerreiro Jr.

Com a vitória de Alice, o clima na cúpula do poder judiciário maranhense esquentou e a disputa pela presidência do TRE passou a criar claras divisões internas. Pressionado a ceder “em nome da  paz interna no judiciário”, Guerreiro jogou a toalha e na próxima quarta-feira (18), o desembargador Froz Sobrinho deverá assumir o cargo de presidente do Tribunal Eleitoral  do Maranhão.

Não custa lembrar que Froz Sobrinho é sobrinho do atual presidente do Tribunal de Contas do Maranhão (TCE) , Edmar Cutrim. Ou seja: com a vitória de Froz na queda de braço contra Guerreiro, Edmar terá (de novo)  alto nível de influência nas duas cortes mais importantes  para o processo eleitoral de 2014 no estado. (Com informações do Blog da Lígia Teixeira)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários