Poder

Sampaio e Santa Cruz empatam no primeiro jogo da final da Série C

Em jogo bastante equilibrado, Sampaio e Santa Cruz empataram sem gols no primeiro confronto da final do Campeonato Brasileiro Série C. (Foto: Paulo de Tarso Jr / Imirante)

Em jogo bastante equilibrado, Sampaio e Santa Cruz empataram sem gols no primeiro confronto da final do Campeonato Brasileiro Série C. (Foto: Paulo de Tarso Jr / Imirante)

Na primeira batalha do “Clássico das Multidões”, os goleiros fizeram a diferença. Com atuações sólidas, Rodrigo Ramos e Tiago Cardoso foram os principais responsáveis pelo empate sem gols entre Sampaio Corrêa e Santa Cruz, neste domingo (24), no jogo de abertura das finais do Campeonato Brasileiro Série C.

A igualdade na partida de ida manteve as invencibilidades recentes das duas equipes: o Santa Cruz segue sem derrotas no mata-mata da Terceirona e o Bolivão mantém uma série de 11 partidas, sendo que o último insucesso tricolor foi no dia 8 de setembro, contra o Baraúnas, ainda na primeira fase.

Com o resultado, o Sampaio precisa de uma vitória ou qualquer empate com gols para voltar a São Luís com o Tetracampeonato Brasileiro e seu segundo título na Série C. Para o Santa Cruz, só a vitória interessa. Um novo empate com gols na partida de volta, que será realizada em Recife no próximo domingo (1º), leva a decisão da Terceirona para os pênaltis.

O jogo

Assim que a bola rolou, Sampaio e Santa Cruz deram os primeiros sinais de que a final seria bastante movimentada. Logo no primeiro ataque, o time coral quase balançou as redes após Luciano Sorriso desviar de cabeça uma cobrança de falta. Empurrado pela torcida no Castelão, o Bolivão não demorou a responder: Eloir fez bela jogada individual e lançou Lucas, que não conseguiu passar por Tiago Cardoso.

Após o nervosismo inicial, o jogo se tornou de uma equipe só: o Sampaio. Com a marcação avançada e o Santa Cruz mais fechado, o Tricolor maranhense passou a aproveitar os erros dos pernambucanos para criar as oportunidades. Primeiro, com o zagueiro Robinho, que tentou de cabeça aos 13 minutos após cobrança de escanteio. Tote e Jonas, na sequência, arriscaram de longa distância, mas não foi o suficiente para abrir o placar.

Mesmo com o Santa Cruz ameaçando nos contragolpes e em jogadas pela esquerda, o Sampaio seguiu superior e mais perto de balançar as redes. Bastante acionado pelo setor direito, o lateral Tote recebeu lançamento e chutou fraco,para fora, aos 25 minutos. Aos 28, foi a vez do zagueiro Robinho avançar e chutar de fora da área, com a bola passando próxima ao ângulo direito do Santa.

Na reta final do primeiro tempo, o cenário não mudou. Dono da bola e sem dar chance ao time coral, o Tubarão passou a explorar os lances com o meia-atacante Lucas, que deu trabalho aos defensores adversários. Entretanto, mesmo com a pressão boliviana, foi o Santa Cruz quem criou a melhor chance da etapa inicial: após tabela com Renatinho, o lateral Panda recebeu na área e chutou forte, assustando Rodrigo Ramos. No ataque seguinte, Eloir tentou assustar após desviar um cruzamento de Airton, mas Tiago Cardoso estava atento e manteve o zero no placar.

Goleiros brilham e mantém o placar zerado

Na volta do intervalo, o Sampaio voltou com todo o gás e pressionou o Santa Cruz logo nos primeiros movimentos do segundo tempo. Logo aos 38 segundos, Júnior Chicão invadiu a área e chutou cruzado, obrigando Tiago Cardoso a fazer uma defesa espetacular. Na sobra do escanteio, o camisa 9 cabeceou e quase balançou as redes. Aos 12 minutos, o centroavante insistiu novamente pelo alto, em mais um escanteio, e concluiu com perigo.

Com a necessidade da vitória e tendo que lidar com o desfalque seus centroavantes titulares, Sampaio e Santa Cruz resolveram apostar na velocidade, com Edgar entrando no lugar de Lucas pelo Bolivão e Renatinho sendo substituído para a entrada de Flávio Caça-Rato na equipe coral. E foi o folclórico atacante quem mostrou, de cara, o seu cartão de visitas, chutando forte e obrigando Rodrigo Ramos a fazer uma defesa difícil, aos 19 minutos. Edgar também teve sua chance: aos 30 minutos, após chute cruzado de Arlindo Maracanã, o atacante tentou de carrinho, mas a bola acertou a trave do Santa.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários