Poder

Mais de trinta presidiários já morreram neste ano

De 2007 até outubro deste ano, já foram registradas 140 mortes em presídios da capital.

Trinta e sete mortes, este é o espantoso número de detentos mortos em presídios em São Luís, até o momento, no ano de 2013, segundo dados do Sindicato de Agentes Penitenciários.

Do Imirante

Mesmo faltando dois meses para o fim do ano, o número é o maior desde 2010, quando aconteceu uma rebelião no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde 18 detentos morreram. Antes da rebelião realizada na noite dessa quarta-feira (9), o número de mortes em 2013 estava em 28. Com as nove mortes confirmadas pela Secretaria de Estado de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap), o número aumentou para 37.

O número deste ano já é maior que a soma das mortes dos anos de 2008, 2011 e 2012, quando foram registradas 17, 11 e 7 mortes, respectivamente. O número é maior, também, que os anos de 2007 e 2009 somados, que foram 10 e 23, respectivamente.

De 2007 até 2012, foram registradas 103 mortes em presídios da capital maranhense. Em 2013, os meses que mais registraram mortes em centros de detenção foram abril, com nove mortes e julho, com sete mortes. Com a rebelião de ontem, outubro supera os meses citados, com 12 mortes.

Entre os presídios que registraram as mortes, estão o Complexo de Detenção Provisória (CDP), o Presídio São Luís II, a Central de Custódia de Presos de Justiça de Presos (CCPJ), a Casa de Detenção (Cadet) e na Central de Custódia de Presos de Justiça do Anil (CCPJ-Anil).


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários