Poder

PMDB de Roseana ameaçou romper a aliança com o PT

Veja.

images (2)Quando recebeu a faixa presidencial das mãos de Lula, em 2011, a presidente Dilma Rousseff  herdou um governo com popularidade nas alturas e uma oposição praticamente dizimada no Parlamento. Sua posse foi também o início de um projeto de poder ainda mais ambicioso.

A aliança entre PT e PMDB, além de vitoriosa nas urnas, rendeu a ambos a soberania no papel de protagonistas políticos. Peemedebistas e petistas comandam o governo federal, o Congresso, administram dez estados e milhares de prefeituras país afora. Essa simbiose, porém, esteve por um fio.

Em uma crise que por pouco não atingiu o ponto de ebulição, os dois partidos estiveram muito perto de um rompimento definitivo, com direito a troca de xingamentos, ameaças e uma inédita explosão de ira do vice-presidente Michel Temer – que chegou a anunciar aos conselheiros mais próximos a intenção de romper definitivamente a parceria com o governo.

Foram oito horas de tensas negociações que envolveram a presidente Dilma Rousseff, dois ministros de estado e as lideranças dos partidos – e que atingiram o ápice com a redação de uma nota na qual os peemedebistas anunciavam a surpreendente decisão.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “PMDB de Roseana ameaçou romper a aliança com o PT”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Armando Pinto

    PT e PMDB são organizações criminosas camufladas de partidos políticos. Isso é briga de quadrilhas por territórios e áreas de atuação, que sempre começa com muita zoada e acaba em festa regada a muita cerveja e tira gosto.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários