Poder

João Castelo gastou R$ 98 milhões em 15 dias

Dados da investigação de ex-gestão foram apresentados nesta quinta (16).

Promotores de Justiça responsáveis pela Ação Civil Pública contra o ex-prefeito de São Luís, João Castelo, divulgaram, nesta quinta-feira (16), detalhes das investigações. Segundo o Ministério Público do Maranhão (MP-MA), a análise das contas da prefeitura no último mês do mandato de João Castelo, aponta irregularidades nos pagamentos feitos pelo ex-prefeito da capital. Um volume com 397 páginas apresenta o resultado de uma investigação sobre as finanças da Prefeitura de São Luís.

De acordo com os promotores que participaram da força-tarefa criada pela Procuradoria Geral de Justiça do Maranhão(PGJ), a dívida chegou a R$ 98 milhões, no período de 17 a 31 de dezembro.

No mesmo período, a receita foi de R$ 53 milhões. Desse total, a Prefeitura teria pago R$ 36 milhões somente para fornecedores. O funcionalismo público teria ficado de fora. “Os dispositivos constitucionais garantem o direito alimentar de todo e qualquer trabalhador brasileiro em receber os seus salários, no caso os vencimentos dos servidores públicos. Foi o que ele desconheceu; desconheceu a Constituição, desconheceu a Lei de Responsabilidade Fiscal”, afirmou o promotor João Damasceno Pires.

Ainda de acordo com os promotores, o problema estaria exatamente no pagamento de forma rápida, nos valores e na escolha de fornecedores. “Talvez pessoas ligadas a ele, titulares de empresas, pessoas jurídicas que foram abonadas com o pagamentos, pagamentos vultuosos, pagos até a empresas que são objetos de ações de improbidade pelo Ministério Público”, esclareceu Pires.

A investigação resultou em uma denúncia de crimes de improbidade administrativa e em uma ação civil pública. “Utilizar verbas públicas em desacordo com as normas financeiras pertinentes e utilizar verba pública para favorecer terceiros em detrimento dos interesses da administração pública”, confirmou o promotor Danilo Castro.

A denúncia e a Ação Civil Pública já foram encaminhadas ao Judiciário e estão protocoladas na 7ª Vara Criminal e na 3ª Vara da Fazenda Pública, respectivamente. A partir de agora passa a contar um prazo para que a Justiça notifique o ex-prefeito João Castelo.

“Ele não foi localizado no próprio endereço indicado por ele. Então, investigamos e conseguimos localizar um endereço na Ponta d’Areia, mas não foi localizado por conta de viagem”, afirmou o promotor Justino Guimarães.

Caso seja condenado, o ex-prefeito de São Luís, João Castelo, poderá ter os direitos políticos suspensos por oito anos e ainda ter que devolver o dinheiro utilizado de forma irregular, de acordo com a denúncia do MP-MA. Para isso, já foram pedidas até informações sobre a existência de bens em nome do ex-prefeito.

Por telefone, nesta quarta-feira (15), Francisco Coelho, advogado do ex-prefeito, disse que João Castelo não foi chamado para ser ouvido pelo ministério público durante o processo de inquérito civil.
O advogado disse, também, que nesta quinta-feira (16) divulgaria uma nota oficial sobre o assunto, o que não aconteceu até o momento. (Do G1 MA com informações da TV Mirante).


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

4 comentários em “João Castelo gastou R$ 98 milhões em 15 dias”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. louis vuitton outlet online

    good share.

  2. michael kors outlet coupons

    nice articles

  3. louboutin outlet

    Sneak A Peek At This Site

  4. gucci outlet

    Click For MORE

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários