Poder

Vídeo mostra Júnior Bolinha trocando acuações com Gláucio Alencar e Jhonatan

Gravações fazem parte do inquérito que apura assassinato de jornalista.

Do Imirante

Pistoleiro troca acusações com Júnior Bolinha.

Pistoleiro troca acusações com Júnior Bolinha.

Nesta terça-feira (23), a morte do jornalista da editoria de política de O Estado do Maranhão, Décio Sá, completa exato um ano. Ele foi assassinato a tiros em um bar da avenida Litorânea. As investigações levaram a polícia a indiciar 13 pessoas pelo crime, que teria sido encomendado por uma quadrilha de agiotas, porque o jornalista havia publicado uma nota em seu blog que ligava o grupo criminoso a um assassinato no Piauí.

O enredo envolveu dinheiro, traição e mortes. Em 30 de março de 2012. Em uma movimentada avenida de Teresina, capital do Piauí, que o empresário Fábio Brasil foi assinado com vários tiros, enquanto estava parado no carro dele, conversando com um amigo. Foi esse crime que deu origem às investigações, que resultaram na prisão de um das maiores quadrilhas de agiotas do Maranhão. A quadrilha, de acordo com a polícia, emprestava dinheiro a juros para prefeitos durante as campanhas eleitorais. Depois de eleitos, os políticos faziam os pagamentos com dinheiro público, usando cheques. Fábio Brasil era um empresário do Piauí que, segundo as investigações, já fez parte da quadrilha, mas ficou devendo dinheiro para os chefes do bando: Glaúcio Alencar e o pai dele, José de Alencar Miranda. Clique aqui e assista o vídeo.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários