Poder

OAB do Maranhão: os vendilhões da dignidade humana

Blog do Luis Cardoso

Mário Macieira.

Mário Macieira.

Na gestão de Mário Macieira, a OAB do Maranhão perdeu o rumo, imiscuiu-se em trivialidades rotineiras e esqueceu-se de lutar pelos direitos humanos, preferindo trilhar o caminho da omissão, ignorando sua finalidade constitucional, embrenhando-se em projetos de continuísmo e perpetuação no poder, deixando de cumprir seu papel institucional e social.

Para ilustrar a omissão bailada a pão e circo na entidade, basta citar o caso do assassinato do jornalista Décio Sá, quando Mário Macieira, numa postura indigna e incompatível com o cargo que ocupa, não só se calou covardemente diante do crime bárbaro, como também permitiu que o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Seccional, Luis Antonio Pedrosa, num ato de extrema deslealdade, debochasse da morte do jornalista, chamando-o de “fofoqueiro”, classificando ainda os profissionais de imprensa de “gorilas diplomados”, atitude desrespeitosa que comprometeu definitivamente a imagem da instituição no Estado.

A declaração do famigerado Luis Antonio Pedrosa mereceu repulsa da imprensa e da sociedade e apequenou ainda mais a OAB do Maranhão, que se manteve inerte diante num ato de tamanha crueldade.

Na ocasião, a “estrela” da diretoria da Seccional, Valéria Lauande – num surto racista e repugnável – manteve-se irredutível quanto à publicação de uma nota oficial da entidade, o que veio ocorrer somente após a OAB Nacional condenar a postura dos diretores da Seccional, que se amesquinharam, quedaram-se omissos no episódio.

E eis que agora os advogados maranhenses são surpreendidos com mais um ataque sorrateiro e covarde dos inimigos dos direitos humanos camuflados na entidade, com a inclusão do nome de Luis Antonio Pedrosa – figura humana deplorável – na chapa de Mário Macieira. Continue lendo aqui.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários