Poder

Polícia Federal faz busca e apreensão em escritório no Edifício Vinícius de Moraes

Agente da Polícia Federal em frente ao Edifício Vinícius de Morae

Agente da Polícia Federal em frente ao Edifício Vinícius de Morae

A Polícia Federal no Maranhão deflagrou, na madrugada de hoje (20/09), a operação Allien nas cidades de Paço do Lumiar, Igarapé Grande, São José de Ribamar e São Luis, e executou 20 Mandados de Busca e Apreensão e 19 Mandados de de prisão.

Os agentes da PF realizaram também busca e apreensão no conhecido escritório de contabilidade “Contato”, que fica no Edifício Vinícius de Moraes, conforme ilustra a imagem capturada pela equide deste blog.

A operação tem como objetivo desarticular uma quadrilha que atuava na prefeitura de Paço do Lumiar, fraudando licitações e desviando recursos públicos federais da educação, por meio de empresas fantasmas do qual uma pertencia ao ex-vereador de Paço do Lumiar, Júnior do Mojó.

Até momento, foi apurado o desvio de cerca de R$ 15 milhões dos recursos provenientes do FUNDEB e do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar-PNATE. Entre os investigados encontram-se a prefeita Bia Venâncio, um vereador e três secretários daquele município.

As pessoas que são pulhadas na Operação, serão monitorados eletronicamente por meio de tornozeleiras, devendo ficar recolhidos às suas residências no período noturno, bem como nos finais de semana e nos dias de folga. Abaixo mais fotos:

Agentes da PF na saída do Edificio.

Agentes da PF na saída do Edifício.

Polícias no veículo utilizado durante a Operação.

Polícias no veículo utilizado durante a Operação.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Polícia Federal faz busca e apreensão em escritório no Edifício Vinícius de Moraes”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Vereadores de Paço do Lumiar podem responder por corrupção ativa

    […] Para o delegado Felipe Cardoso, o sigilo não é mais algo sob o controle da autoridade policial, uma vez que os áudios vazados já eram da decisão judicial e todos os envolvidos teriam tido acesso. “O inquérito é sigiloso. Mas nem considero o que aconteceu um vazamento, uma vez que as informações que estão na imprensa estão na decisão da Justiça. Os advogados das partes tiveram acesso às peças, como é de direito.. Não é mais algo estreitamente sigiloso”, afirmou. Agente da Polícia Federal em frente ao Edifício Vinícius de Moraes. Foto: Blog do Neto Ferreira. […]

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários