Poder

Leitor comenta sobre o Comando Geral da Polícia Militar

Leo Coutinho abraçado com Franklin Pacheco.

Leo Coutinho abraçado com Franklin Pacheco.

Minhas senhoras e meus senhores, o que observamos na PMMA nos últimos dois anos nos faz desacreditar na importância e na seriedade do compromisso que uma Polícia Estadual deveria ter para com os contribuintes que a sustentam.

Não bastasse os números inimagináveis da violência nas ruas de São Luis(quase 60 homicídios em agosto) e do Estado como um todo, percebe-se facilmente uma generalizada descrença e irritação interna dos policiais militares no sistema de gestão da segurança pública, em especial, no sistema que deveria reger as recompensas pelo esforço empregado no bom serviço prestado. Digo isso senhores pois experimentamos tempos medonhos em que falcatruas, perseguições, preterições, sacanagens e desmandos são cotidianos. Nos entristece e revolta o espírito perceber que as coisas saíram definitivamente do racional ou do plausível e descambaram para a pura prática do eu quero e pronto! Eu mando e assim que tem que ser pois eu prefiro assim. Que se dane o que for legal!

Durante as promoções que se deram em abril desse ano, nosso secretário Aluísio falava em meritocracia e trabalho recompensado com a devida ascensão… Balela, senhores, balela! Na ocasião, foram promovidos pelo suspeitíssimo critério do “merecimento”, essa chaga institucional, Oficiais que mal haviam se habilitado à promoção(um envolvido em processos criminais) em detrimento de outros que aguardavam há anos, a exemplo do que o Cel Franklin já houvera feito com seu fiel escudeiro o então Major Lisboa, que foi promovido pelo mesmo maquiavélico “merecimento” com pouquíssimo tempo de major e agora, pasmem conosco, o Cel Franklin pretende promovê-lo a Coronel PM, o maior cargo da hierarquia, sonho de todos que trabalham 30 anos, mais uma vez destruindo a carreira de dezenas de outros bons Oficiais que aguardam sua vez(há mais de dez anos) e que serão preteridos por essa pouca vergonha de afiliados e protegidos. Estamos sendo sistematicamente desconsiderados e passados para trás por esse comandante geral desprovido de sentimentos de ética, justiça, lealdade e de acatamento dos textos legais. Até quando esse Coronel vai continuar enganando à opinião pública e a seus subordinados?

A razão para essa conduta reside em fazer emergir uma nova casta de Coronéis PMs eleitos que assegurarão o trânsito do atual Comandante nos corredores da Assembléia, Palácio e Secretaria de Segurança, perpetuando os esquemas de ajuda mútua que desarticularam toda a crença na seriedade da coisa.

É escancarada a sangria financeira, com licitações que favorecem preços absurdos para itens adquiridos e tudo com notas fiscais(vejam a foto abaixo), a exemplo da dezenas de televisores recentemente adquiridos por quase 3 mil reais cada, sem falar dos comprados em ano anterior, ainda com tubos de imagem a R$ 1.300,00 cada. Será mesmo que a Insinuante ou a Gabriella estão loucas ofertando os mesmos produtos a ¼ do preço que a PMMA paga? Será que ninguém acha estranho não termos dinheiro sequer para pagar as viagens necessárias ao interior do Estado(a não ser que você pertença à panela)? Será que ninguém vê nada? Será que perdemos a capacidade de indignação?

Se dermos uma pequena circulada pelos corredores do Comando Geral veremos dezenas, eu falei dezenas, de Oficiais e praças fazendo absolutamente nada e completamente desmotivados a fazer qualquer coisa pois não têm perspectivas de ter seu trabalho reconhecido. Falo de bons policiais que simplesmente se cansaram de acreditar. Se cansaram de ver a coisa errada e se cansaram da PMMA. Aguardam inertes o chamado da aposentadoria, já colocando nesta, suas expectativas futuras. Esse Comandante, sua inoperância e falta de diálogo foi o grande responsável pela única e vergonhosa greve da Polícia Militar em toda sua história(foi um grito de basta da tropa que sua falta de habilidade provocou e ainda mantém latente nos policiais).

Saindo dos muros dos quartéis, o Dr. Vicente de Paula Gomes de Castro, MM. Juiz de Direito Titular da Auditoria da Justiça Militar do Estado do Maranhão, ratifica o que já é público e notório: a perda de confiança por parte da tropa em relação ao seu Comandante. Em suas argumentações o magistrado refere-se ao Cel Franklin – Comandante Geral da PMMA, nominando-o de “ineficiente e inoperante no exercício de suas funções de Comando, delineando que a frente da instituição o referido oficial demonstra uma fragilidade vista por todos, fruto do seu despreparo para o cargo que exerce. Funcionalmente medíocre na condução dos seus comandados, com pouca dedicação aos trabalhos e encargos o que tem causado insatisfações na tropa.”Alude ainda que “a debilitada autoridade do Cel Franklin, deixa-o inoperante e omisso, deixando de exercer autoridade compatível com o cargo que ocupa, além de desacreditar moralmente a distinta função de Comandante Geral da PMMA”.

Jorge Moreno, MD. Juiz de Direito aposentado, publicou na página da ONGS LIBERTAS no Facebook em 26Nov11: Depois dessa, ou o comandante-geral pede para sair, ou o Comando superior, a Governadora do Estado (art. 64, inc. XI da Constituição Estadual), fica na obrigação de demití-lo, pelo fato do mesmo não ter os atributos necessários, ao exercício do cargo

Como age o Cel QOPM Franklin Pacheco, Comandante Geral da PMMA:

Alguém recorda das denúncias feitas pelo Cel Melo e que até o presente momento não foi aberto nenhum procedimento para apurar os fatos? Vejamos alguns:

– comandante geral da PMMA compra passagens aéreas para sua esposa e seus filhos com dinheiro público sem previsão legal.

– oficiais fazem curso em academia particular, sendo que alguns cursos não têm previsão na legislação específica.

– policiais militares recebem diárias mais não viajam.

– polícia militar loca carros com o preço duvidosos e o muro que cerca o quartel? Até agora não sabemos quanto custou.

Leo Coutinho ao lado do coronel Franklin Pacheco.

Leo Coutinho ao lado do coronel Franklin Pacheco.

2- Nosso Comandante Geral prestigia paralelamente o candidato Léo Coutinho que faz oposição à governadora, já pensando no pleito eleitoral de 2014 para o governo do Estado, buscando simpatias fora do grupo político do governo para se manter ou colocar um protegido no cargo.

Perguntamos: _ Como pode uma pessoa servir a dois senhores ao mesmo tempo?

Não queremos mais esse comando que não serve à população, não serve a quem a governa e não serve a quem a constitui. CHEGA de desmandos em nossa PM. O resultado dessa situação, é o que se vê nas ruas, resultado do baixíssimo entusiasmo profissional da tropa. Ela está revidando a insensibilidade dos desprovidos dela.

Obrigado


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários