Poder

A pistolagem e agiotagem…

Por Idelfonso Vasconcelos, O Estado do Maranhão

Mandantes do assassinato de Décio Sá.

Mandantes do assassinato de Décio Sá.

São Luís apresenta sido vitima de bandidos que vem pra nossa Capital explorar ação criminosa, demonstrando desta forma a facilidade de estabelecer e navegarem nessa condução que faz com quer viva emprestando dinheiro com um juro exorbitante e depois procuram de forma ilegal cobrar acima dos valores do qual se fez emprestado. É uma ação de banditismo, tudo levar a crer que são pessoas inescrupulosas que procuram de forma irregular entra neste mundo do crime. Acreditamos na medida em que estão sendo tomada pelo governo através da Secretaria de Segurança Pública do Estado em desvendar quadrinhas que fazem esses tipos de criminalidade.

O caso do jornalista Décio Sá, que fora covardemente com cinco tiros assassinado no Bar “Estrela d0 Mar” na Litorânea, pelo criminoso monstro – Jonathan de Sousa Silva, a mando de uma lista de perversos homens que se vestiam de empresários – Gláucio Alencar Miranda Carvalho, Airton Martins Monroe, “Junior Bolinha”, Fábio Aurélio Silva, o “Bochecha” e o capital da PM Fábio Aurélio Silva. Relatado pelo criminoso Jonathan os motivos em uma entrevista fornecida a Televisão Mirante canal 10 filiada da Televisão Globo – no dia (10) terça-feira do mês julho – quando o repórter fez-lhes a pergunta: – Como foi a contração para morte de Décio Sá – respondeu-o: – Júnior Bolinha disse que tinha ele pra matar: Que ele era um fuxiqueiro, que metia o nariz em todo lugar e que tava prejudicando muita gente, e ele teria que morrer. Que ele era um blogueiro, não disse que ele era um jornalista. Falou o lugar onde eu poderia encontrar ele. O lugar era o João Paulo, era uma rádio comunitária que ele freqüentava. Só que não era ele. Já no terceiro dia, ele disse que eu poderia acha ele na Mirante, só que ele não disse que ele era jornalista, ele disse que ele freqüentava a Mirante. Eu fiquei num quiosque na praia esperando dar nove horas quando deu o horário não demorou nada ele saiu. Ai eu seguir ele. Como foi a execução – Eu entrei, ele estava sentado falando no telefone, aí eu arranquei a pistola e ele tentou correr. Aí eu atirei nele. Por ter sido um profissional corajoso, de saber escrever as denuncia que fora dito no seu Blog sobre essa quadrilha (morreu assassinado). Mas graça a competência das ações e estratégica do secretário de Segurança do Estado – Dr. Aluísio Mendes e a polícia do nosso Estado os envolvidos foram presos.

Assassino confeso do jornalista Décio Sá.

Assassino confeso do jornalista Décio Sá.

Tudo vem de forma coerente na probabilidade das investigações que decifram aqueles que se envolvem neste quadro de pistolagem e agiotagem em nosso Estado. Acreditam os mais entendidos que serão todos colocados na cadeia numa demonstração que existem em nosso Estado respeitabilidade com a sociedade maranhense e a ordem vem sendo cumprida. É de se crer mesmo abrolhar outros, terão seus encalços pela polícia especializada no assunto, neste contexto a criminalidade é um mundo onde diversos bandidos se colocam nesta estratégica pensando que nunca serão descobertos, só que tem um ditado popular “o crime não compensa”. (um dia é pego, assim como foi desvendados o caso do jornalista Décio Sá – mesmo tendo outras pessoas envolvidas, como estão a dizer a imprensa, falada escrita e televisada). São estampa de jornais locais os acontecimentos de crime por encomendas, mas no decorrer do tempo tudo vem à tona, tudo é demonstrativo da realidade, de quem comete e de quem os mandam. A nossa Justiça tem que ser severa com esses monstros tanto quem praticam o assassinato como de quem manda. (cadeia pra fica em tempo de saber que tira a vida do cidadão não é direito e não profissão como esse monstro Jonathan disse – que é a sua profissão mata). Chega de estamos a deriva desses bandidos, desses calculistas de tira vidas. Basta.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários