Poder

Xeque-mate: oposição rendida e sem saída

Como num passe de mágica, adormecem-se os tatús e furões, e subtrai-se o número de candidatos a prefeito.

Blog do Caula

A nau da oposição luminense definitivamente está sem rumo, sem leme, nem vela.  Eu explico; a alguns dias atrás existiam tatús e furões que escavavam enormes valas nas ruas e avenidas de nossa cidade em “protesto” a falta de obras da prefeitura na área de infra-estrutura. Haviam também um dono de televisão que divulgava tudo, além de mais de meia dúzia de candidatos a prefeito, se auto-intitulando os salvadores de plantão de Paço do Lumiar.

Repentinamente, como num passe de mágica, ou um pirlimpimpim de uma vara de condão da fada-madrinha, adormecem-se os tatús e furões, e subtrai-se o número de candidatos a prefeito. E ainda por cima nota-se o silencio das oposições como quem já está consentindo e aprovando o nome novo, enxuto e reluzente indicado pela maioria dos que acompanham a prefeita que o indicou e ungiu como candidato para vencer as próximas eleições majoritárias do município.

Eu poderia aquí citar os nomes dos personagens que atuarão nesta que será uma das partidas de xadrez dignas de Alexander Karpov, o maior enxadrista que o mundo já teve o prazer de ver jogar, porém ficaria muito fácil definir quem vai dar o xeque-mate. Contudo darei algumas dicas: A rainha (B) indica seu rei (A), que escoltado pelo bispo (T), e possivelmente uma torre (I) que saberá fazer um roque na hora certa, além de um exército de fiéis súditos, seguirá com todo seu lado do tabuleiro para cima de uma oposição esbagaçada, sem bússola, nem lua e nem sol para guiá-la.

Do outro lado do tabuleiro estão: um rei sem súditos, amparado apenas por um irmão de um ex-cassado,  que não poderá fazer muita coisa quando a grande batalha se iniciar, a não ser gritar.

No meio disso tudo existe mais dois conjuntos que com as mesmas peças querem entrar num mesmo tabuleiro, esquecendo-se que no xadrez existe 64 casas, 32 brancas e 32 pretas no tabuleiro, e só jogam 32 peças, sendo 16 de cada cor.

Como meros coadjunvantes, essas peças reservas deverão ficar aguardando sua vez de serem chamados para participarem da partida do tabuleiro do rei (A), com a rainha(B). Estão entre elas peças como os tatús e furões, além de um ex- rei, que acompanhado de um milionário, um filho, e um dono de televisão,  também dois teimosos irmãos que não definem de que lado estão se é do preto ou do branco.

Será uma partida boa de assistir, pois de tudo e de todos só nos resta o aprendizado e a certeza de que vencidos e vencedores, deverão e serão obrigados ao final da grande batalha se unir em prol de um paço maior e melhor.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários