Poder

Justiça pede regularização do fornecimento de água em Buriticupu

Atualmente, existem oito poços, sendo que dois não funcionam. No município, o abastecimento é bastante precário.

Por conta do fornecimento irregular de água em Buriticupu (a 404km de São Luís), o Ministério Público do Maranhão ajuizou, em 31 de maio, Ação Civil Pública com medida liminar contra a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) e o Município de Buriticupu, solicitando o restabelecimento, no prazo de 10 dias, do funcionamento de todos os poços de captação de água que abastecem a cidade, com o objetivo de regularizar o fornecimento. Propôs a ação o promotor de Justiça Gustavo de Oliveira Bueno, da Comarca de Buriticupu.

Atualmente, existem oito poços, sendo que dois não funcionam. No município, o abastecimento é bastante precário. Mais de mil famílias estão sem água em Buriticupu.

Como medida liminar, o MPMA requer também que seja suspenso o pagamento da tarifa da Caema de todos os consumidores de Buriticupu até que seja restabelecido o fornecimento regular de água.

Foi solicitado, ainda, que após o restabelecimento do fornecimento de água, o serviço seja mantido de forma eficiente, adequada e contínua em todos os bairros da cidade. Outro pedido refere-se à extensão do serviço de fornecimento de água a todos as áreas da zona rural do município, no prazo de 60 dias.

Para todos os pedidos o promotor de Justiça propôs uma multa diária de R$ 50 mil em caso de desobediência.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários