Poder

MPF propõe ação de improbidade contra ex-prefeito de Penalva

Nauro Mendes deixou de prestar contas de recursos da Funasa.

O Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA), por meio do procurador da República Juraci Guimarães Júnior, propôs ação de improbidade administrativa contra o ex-prefeito de Penalva (MA), Nauro Sérgio Muniz Mendes, por ausência de prestação de contas referente a convênio celebrado com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa), para instalação hidrossanitária em escolas da zona rural.

O convênio foi celebrado em dezembro de 2005, durante o mandato de Nauro Mendes, no valor de R$ 244.950,00, com prazo inicial de vigência de um ano. No entanto, em razão da ausência de prestação de contas parcial, houve atraso na liberação da verba, e a vigência final do convênio foi prorrogada para dezembro de 2008.

Mesmo depois de ter sido notificado, o então prefeito não prestou contas da 1ª parcela dos recursos, e o município foi inserido no quadro de inadimplentes. A omissão de Nauro Mendes acarretou a não liberação da última parcela do convênio e a abertura de tomada de contas especial.

Para o MPF, o ex-prefeito incidiu no ato de improbidade administrativa ao deixar de prestar contas dos recursos públicos (conforme previa o convênio celebrado), apesar de notificado.

O MPF requereu da Justiça Federal a condenação de Nauro Mendes, e atribuiu à causa o valor de R$ 195.960,00 – o mesmo valor efetivamente transferido pela Funasa ao município de Penalva.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Tudo sobre:

Um comentário em “MPF propõe ação de improbidade contra ex-prefeito de Penalva”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. jovem da barra

    Quer sabe a verdade, esse negocio de denunciar prefeito e cassar já virou foi palhaçada, olhe o que esta acontecendo em barra do corda aonde o prefeito corrupto comprou um Habeas-corpos de um ministro do STJ, aqui o que tem valor e ladrão safado! vamos acabar com essa corrupção não e intimando alguém, mais sim reformando as lei

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários