Poder

Preso mais um envolvido no homicídio do cabo do Corpo de Bombeiros

Cabo do Corpo de Bombeiros, Gilson Carlos Evangelista.

Cabo do Corpo de Bombeiros, Gilson Carlos Evangelista.

Verificações da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), em conjunto com o Serviço de Inteligência da Polícia Militar, levaram a prisão de mais um envolvido no assassinato do cabo do Corpo de Bombeiros, Gilson Carlos.

Cristiano Costa Mendes, 24 anos, conhecido por Cris e, também, como Apagão, foi interceptado, na noite de última terça-feira, (3), no momento em que tentava sair de São Luís em companheira, identificada por Carla Serejo da Silva Costa.

Com base em denúncias anônimas, a equipe da Seic e da PM iniciaram as buscas para identificar o paradeiro de Cristiano. Informações indicavam que ele estaria em um veículo S10 de cor preta se preparando para deixar a cidade.

Em campanas montadas na barreira da Polícia Rodoviária Federal, em Pedrinhas, os policiais conseguiram interceptar o veículo. Além do casal, encontrava-se conduzindo o carro, o advogado do acusado, Rubem Pereira de Castro, que estaria facilitando a fuga.

Em seguida, os três foram encaminhados para a sede da Seic, no Bairro de Fátima, onde foram ouvidos pela delegada de Polícia Civil Wanda Moura.

Segundo informações, foi tomado o depoimento da companheira de Cristiano e do seu advogado que assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por estar facilitando fuga a um foragido da justiça. Em seguida os dois foram liberados.

Na manhã de quarta-feira, (4), Cristiano Costa foi levado para o 11º DP, onde a delegada Ludylena Sampaio investiga o homicídio do Cabo do Corpo de Bombeiros.

Cris, de acordo com informações da delegada, detém um mandado de prisão em aberto por um crime de homicídio no bairro Primavera, no Coroadinho. Ele será encaminhado para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, onde responderá pelo homicídio no Coroadinho.

A delegada reforçou que após os depoimentos de Cristiano Costa Mendes, serão tomados todos os procedimentos cabíveis para o inquérito do homicídio do cabo do bombeiro.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários