Poder

Vereador de Timon denuncia falta de abastecimento d'água do município

Moradores da Vila do BEC improvisam cacimba no Timon/província da Prefeita Socorro Waquim

Moradores da Vila do BEC improvisam cacimba no Timon/província da Prefeita Socorro Waquim

Os moradores de parte da Vila do BEC, em Timon, vão continuar sofrendo com falta dágua em suas casas mesmo depois de denúncia no ministério público e um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC)assinado no ano passado pelo Diretor do SAAE, Luis Cláudio, onde este se comprometeu com o promotor Antonio Borges , o vereador Uilma Resende e líderes comunitários do bairro, a resolver o problema até este mês de janeiro . O diretor prometeu a construção de um poço tubular em 130 dias para superar o problema.

Passados os dias solicitados e em resposta a uma consulta do ministério público sobre o andamento do caso, Luis Cláudio informou que todas as providências foram tomadas, mas infelizmente a falta de recursos e a burocracia emperraram a execução da obra. E arrematou: “Porém, não ficamos com os braços cruzados”.

Na justificativa apresentada ao promotor Antônio Borges , Luis Cláudio informou que enviou um ofício para a prefeita em 11 de janeiro deste ano, pedindo que ela interfira junto à construtora Araujo Sampaio para que esta faça uma permuta de um poço tubular por equipamentos e material hidráulico. Ele só não informou que havia se comprometido a resolver o problema há quatro meses, em 01 de setembro de 2011.

Situação caótica – No bairro, a situação da falta dágua beira o absurdo onde moradores são obrigados a improvisar buracos tipo cacimba para suprir as necessidades básicas da casa.

Para o vereador Uilma Resende(na foto a direita), a situação é pura falta de espírito público. “ Nesse problema está claro que não faltam recursos, mas vontade política em resolver o problema para superar esse sofrimento a que os moradores estão submetidos”, avaliou o parlamentar.

Primeiro a denunciar o sofrimento dos moradores, o vereador prometeu que vai continuar cobrando tanto do SAAE quanto do ministério público uma solução digna para o caso.

O pedetista informou ainda que na próxima terça-feira,31, participará de uma reunião envolvendo líderes comunitários do bairro, diretor do SAAE, Luis Cláudio e o promotor Antonio Borges para tratar do assunto. Na oportunidade, o promotor vai decidir se estende o prazo solicitado pela direção do SAEE por mais 60 dias ou se executa judicialmente o órgão.

(Com informações do jornal O Timonense e fotos de Joelton Leal )


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários