Poder

SEJAP oferece trabalho de assistência religiosa aos internos do sistema prisional

A lei de Execução Penal brasileira garante aos internos do sistema prisional que estes tenham garantida também a assistência religiosa. Atento à determinação, o Governo do Estado do Maranhão, por meio da Secretária Estadual da Justiça e da Administração Penitenciária (SEJAP), oferece aos internos das unidades prisionais o trabalho de ajuda espiritual.

Com o objetivo resgatar a vida dos detentos através da palavra de Deus, é que nasceu o projeto missionário “Cristo poder que liberta”, desenvolvido há três anos pela igreja evangélica Assembléia de Deus dentro das unidades prisionais. Um dos coordenadores do projeto de evangelização, o missionário José Ribamar Lindoso, contou que o trabalho de ajuda espiritual oferecido aos apenados tem sido de fundamental importância para uma melhor qualidade de vida atrás das grades. “É interessante como o preso vai mudando gradativamente. Aquele que fumava, para de fumar; aquele que fazia coisas a margem da lei, não mais o faz. Aí já podemos perceber um avanço e uma real qualidade de vida que beneficia não só a ele, como aqueles que estão ao seu redor”, declarou o missionário

Apesar de o projeto existir há apenas três anos, o trabalho de evangelização feito nos presídios pelo missionário José Ribamar já vem acontecendo há mais de 10 anos. Ele disse que o trabalho está apenas se desenvolvendo cada vez mais e as pessoas tem apoiado a iniciativa. “O nome do Senhor tem sido glorificado e estamos conseguindo pessoas para nos apoiar nessa empreitada”, afirmou José.

Ribamar contou que os cultos realizados dentro do cárcere nada mais é que uma reiteração de sentimentos. De acordo com ele, durante o ato onde a palavra de Deus é lançada, existem presos que choram, outros caem; enquanto que outros apenas observam. “Acredito que em suas mentes vão surgindo lembranças desagradáveis, agradáveis; coisas que eles não gostariam de ter feito e, no meio de tudo isso, o sobrenatural de Deus vai agindo”, explicou Ribamar.

O missionário disse ainda que o trabalho das igrejas evangélicas dentro das instituições carcerárias vai além de cultos, tendo outras atribuições que ultrapassam as limitações religiosas. Conforme ele é oferecido também a estes presos um trabalho de assistência social dentro do presídio. “Nós ajudamos o interno com medicamentos e roupas. Tentamos dar assistência a eles em vários sentidos, não apenas com pregações, mas também com mantimentos para o corpo e não só para a alma”, afirmou o evangélico.

Resgatando vidas no Presídio Feminino

Atuando em várias unidades carcerárias – tanto da capital quanto do interior – o projeto Cristo poder que liberta tem sido bastante eficaz no Presídio Feminino, um dos prédios anexos ao complexo penitenciário de Pedrinhas.

Sentenciada a oito anos de prisão por tráfico de drogas, a presidiária Marlene de Sousa Mesquita, de 49 anos, contou que hoje se sente uma nova pessoa por conta de ter decidido entregar a vida a Jesus Cristo. “Eu me sinto até mais calma. Eu gosto de assistir as pregações , eu sinto a presença de Deus em meu coação”, disse Marlene.

José Ribamar contou que no último dia 22, quando houve um culto na unidade prisional das mulheres, quatro internas aceitaram a palavra pregada e optaram pela conversão à Cristo. “São incontáveis a quantidade de pessoas que se entregaram a Deus, mas no último culto aqui, quatro mulheres entregaram suas vidas a Cristo”, afirmou Ribamar.

CDP – O diretor do Centro de Detenção Provisória (CDP-Pedrinhas), Ideraldo Lima Gomes, contou que o trabalho de assistência religiosa realizado na unidade prisional á qual está sobre sua gestão tem sido muito importante para um bom convívio entre os presos. “Esse trabalho tem nos ajudado muito na questão da ressocialização do interno. Os presos que são evangélicos acabam influenciando positivamente os demais, até mesmo no quesito comportamento, pois, estes se comportam muito bem”, afirmou Ideraldo.

Gomes ainda concordou com o que foi dito pelo missionário Ribamar sobre uma melhor qualidade de vida no cárcere e ainda acrescentou. “Eles não fumando já ajuda de mais a ter uma melhor qualidade de vida. além disso, eles têm o beneficio da saúde e de um ambiente mais limpo. E sem falar que as igrejas os ajudam com mantimentos como comida, roupa e medicamento”, relatou.

Jesus Cristo liberta – O grupo de evangelismo Jesus Cristo Liberta, coordenado pela missionária Ilene de Fátima Rubím, Já tem três anos de existência em atuação dentro do CDP. Conforme relatou a missionária, o trabalho dentro da unidade começou a ser realizado após ela sentir um chamado sobrenatural depois de ter lido uma passagem bíblica no livro de Ezequiel onde fala sobre o vale de ossos secos. “A passagem está em Ezequiel capitulo 37. Quando eu li subentendi que o vale de ossos secos é o povo que não conhece a Jesus e que perece pela falta da palavra. Então senti em meu coração que eu tinha que levara apalavra para os presps do sistema penitenciário”, relatou Ilene.

A missionária ainda contou que pretende alçar vôos maiores através da palavra de Deus. De acordo com ela, está por vir um novo projeto onde o objetivo é construir uma casa de apoio para os internos. “A idéia é dar um local onde os presos que não tem família e que ganham a liberdade possam se instalar em algum lugar, ter um canto para ficar e não a mercê da marginalidade”, disse ela.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários