Poder

Empresas de locações faturam contratos de R$ 7,9 milhões em Tutóia

As empresas Ema Serviços e J.A Moto Peças, ambas localizadas em Tutóia, vão lucrar milhões na Prefeitura da cidade, que é comandada por Romildo Damasceno Soares.

Segundo o Diário Oficial, as empresas irão locar veículos de passeio, máquinas pesadas e caminhões com operador e condutor e automóveis para o transporte escolar.

Para executar a locação, a Ema Serviços ganhou dois contratos, sendo um no valor de R$ 1.907.730,00 (Hum milhão, novecentos e sete mil, setecentos e trinta reais) e outro de R$ 2.796.904,88 (Dois milhões, setecentos e noventa e seis mil, novecentos e quatro reais e oitenta e oito centavos). Se somados, chegam ao montante de R$ 4.704.634,88 milhões.

Já a J.A Moto Peças faturou apenas um contrato no valor de R$ 3.284.248,00 (Três milhões, duzentos e oitenta e quatro mil e duzentos e quarenta e oito reais).

Ao todos, os três contratos chegam a R$ 7.988.882,88 milhões.

tutoia

tutoia1

tutoia2


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Delator revela que Flávio Dino garantiu que indicaria relatoria de interesse da Odebrecht

thumbnail_IMG-20170413-WA0008

O ex-executivo da Grupo Odebrecht, José de Carvalho Filho, conhecido como homem que operacionalizava o pagamento de propina para políticos, revelou em sua delação, na qual o Blog do Neto Ferreira teve acesso, uma garantia do governador Flavio Dino (PCdoB), em indicar outro relator para o projeto de Lei que beneficiaria a empresa.

De acordo com a delação homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), Carvalho diz que Flávio Dino, à época deputado federal, garantiu que indicaria o deputado federal do PCdoB, Chico Lopes, para assumir o seu lugar na relatoria.

Nesse momento, Dino estava deixando o mandato na Câmara Federal para concorrer ao governo em 2010, mas conseguiu se eleger somente em 2014.

José de Carvalho Filho também especifico que a pessoa responsável pelo setor, do qual saiu o pagamento de R$ 400 mil para o governador do Maranhão, é Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho.

Hilberto cuidava do Setor de Operações Estruturais, o famoso setor de propinas da Odebrecht.

IMG-20170413-WA0006

IMG-20170413-WA0005

thumbnail_IMG-20170413-WA0004


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Júnior Verde participa de seminário em prol dos Conselhos Tutelares

thumbnail_IMG_9053

Conselheiros e ex-conselheiros tutelares de 70 municípios do Estado estão reunidos desde ontem (10) no primeiro Seminário de Fortalecimento do Sistema de Garantias e Direitos do Maranhão. O evento está sendo realizado no auditório do Complexo de Comunicação da Assembleia Legislativa e tem o apoio do deputado estadual Júnior Verde (PRB), que participou da abertura, na noite de segunda. A programação segue até amanhã (12).

Autor de uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que inclui na Constituição Estadual a regulação para a criação dos Conselhos Tutelares, o parlamentar destacou a importância do encontro para o fortalecimento da atividade, que busca proteger crianças e adolescentes em situação de risco.

“Uma das nossas lutas no parlamento estadual é o fortalecimento dessa atividade, que deve ser valorizada. Desde o início do nosso mandato, temos buscado meios de melhorar as condições de trabalho dos conselheiros, e claro, de intensificar essa importante atividade”, garantiu.

Em todo o Maranhão, existem mais de 217 conselhos tutelares e mais de 1.000 conselheiros, que atuam com o suporte do poder público, por meio das administrações municipais, do Ministério Público e da sociedade civil. A programação inclui a discussão do Plano Decenal e da Assistência Social e da Infância. Participam do evento os coordenadores da Associação dos Conselheiros e ex-Conselheiros do Estado do Maranhão (ASSECMA).

“Um evento significativo, que traduz a vontade destes homens e mulheres em realizar um trabalho determinado, vocacionado, intencionado à defesa das crianças e adolescentes deste Estado. Não poderíamos deixar de estar presentes porque nós temos feito uma defesa nesta Casa, dos conselheiros tutelares do Maranhão, pois precisamos das condições. É cuidar de quem cuida”, finalizou.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Política

Fábio Macedo destaca investimento de quase 2 milhões para Dom Pedro

8bbd8675e810209b6bc36074f5f5f770

O deputado estadual e líder da bancada do PDT na Assembleia Legistativa, Fábio Macedo, participou, na manhã desta terça-feira (11), no Palácio dos Leões, da cerimônia de Assinatura da Ordem de serviço para a Recuperação do Sistema de Abastecimento de Água de Dom Pedro e outros municípios maranhenses.

“Hoje é um dia muito feliz e só tenho a agradecer ao Governador Flavio Dino por sempre atender as nossas solicitações, que sempre estão de acordo com as necessidades do povo. Resolver o problema de abastecimento de água de Dom Pedro, sempre foi uma das prioridades do meu mandato, um compromisso que firmei com os conterrâneos de minha cidade natal, é um sonho que se torna realidade”, reassaltou, Fábio.

A ordem de serviço, assinada pelo Governador Flávio Dino, a pedido do parlamentar pedetista, levará um investimento na ordem de quase 2 milhões de reais para a recuperação dos reservatórios elevados e semi-enterrados, aneis de distribuição, construção de uma adutora e instalação de 800 hidrometros domiciliares, resolvendo de uma vez por todas o problema crônico de falta d’agua na cidade.

Na ocasião, Fábio Macedo, ainda destacou o trabalho do ex-prefeito da cidade, Hernando Macedo, que em meio a várias dificuldades, construiu vários poços artesianos na cidade.

“A recuperação do sistema de abastecimento vai complementar os serviços já realizados pelo ex-prefeito Hernando, que muito se empenhou para resolver essa problemática na cidade, o que infelizmente não foi suficiente para suprir a demanda. Mas agora, com essa grande obra, a população de Dom Pedro terá água todos os dias em suas torneiras”, finalizou o pedetista.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Após lista de inquéritos com políticos, Congresso fica vazio

IMG_20170412_174034

Ainda sob efeito da divulgação da chamada “lista do Fachin”, o Congresso Nacional teve um dia esvaziado nesta quarta-feira (12). Com corredores vazios, Câmara e Senado tiveram trabalhos reduzidos.

Na tarde de terça-feira (11) o ministro Luiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a Procuradoria-Geral da República (PGR) a investigar 8 ministros, 3 governadores, 24 senadores e 39 deputados federais.

Entre os alvos dos novos inquéritos, estão os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Após a divulgação da lista, a Câmara encerrou a sessão de terça, que seria destinada a votar o projeto de socorro a estados em crise. Mas os efeitos se estenderam para o dia seguinte, avaliou o deputado Alessandro Molon (RJ). Para ele, não foi apenas a proximidade do feriado de Páscoa que esvaziou a Casa.

Evidente que isso representa sim um impacto da lista”, disse. “Isso vai afetar a votação das reformas que o governo considera fundamentais em um momento em que grande parte da base aliada está na lista”, ressaltou.
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), presente na lista de investigados, não foi ao Congresso nesta quarta e deixou Brasília, com destino ao Rio de Janeiro, ainda pela manhã.
A comissão especial da reforma trabalhista conseguiu o quórum necessário para funcionar. Na sessão, o relator do texto, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), leu o parecer que trata da reforma proposta pelo Palácio do Planalto.

No plenário da Câmara, foram analisados apenas projetos de menor importância, como a validação de acordos internacionais. No Senado, a sessão do plenário foi cancelada por falta de quórum. Apenas 15 dos 81 senadores marcaram presença na sessão.

Na ala de comissões do Senado, poucos colegiados funcionaram. A reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) foi cancelada.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Moradores reclamam do caos que se instalou em Lago do Junco

A cidade de Lago do Junco, que é administrada por Osmar Fonseca, está vivendo um verdadeiro caos.

Abandonada, a população sofre com a má gestão do prefeito, que finge não ter conhecimento do que está acontecendo.

O último episódio retrata bem esse descaso. Um motorista de ônibus escolar abandonou o veículo no meio da estrada pois a via que dá acesso ao Povoado Fortaleza estava completamente intrafegável.

Os alunos tiveram que continuar o percurso a pé. Um absurdo!

IMG-20170412-WA0017


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Empresa do Piauí fatura contrato de R$ 1,4 milhão em São João dos Patos

A empresa piauiense JDA Comércio Serviços e Construções, de propriedade de Jairo Xavier Reis Carnib Filho e Mariana Cavalcante Gayoso Ribeiro Carnib, vai lucrar alto no Maranhão.

A JDA, que fica localizada no município de Campo Maior (PI), foi a vencedora do Pregão Presencial nº 10/2017 deverá receber cerca de R$ 1.476.000,00 (um milhão quatrocentos e setenta e seis mil reais) para locar veículos para a Prefeitura de São João dos Patos.

O contrato foi firmado no dia 3 de março e deverá terminar em 31 de dezembro de 2017.

são joão dos patoa

são joão dos patos1

são joão dos patos2


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Lula pediu à Odebrecht 40 milhões de dólares em propina

alx_odebrecht-lula_original

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu 40 milhões de dólares à Odebrecht em troca da aprovação de um financiamento bilionário para obras de interesse da companhia em Angola. Quem faz a afirmação é Marcelo Odebrecht, o ex-presidente da empreiteira. Em depoimento ao juiz Sergio Moro, ele contou que, entre 2009 e 2010, foi procurado por Paulo Bernardo, então ministro do Planejamento, que em nome de Lula disse que o governo poderia aprovar o financiamento de 1 bilhão de dólares desde que a Odebrecht pagasse os 40 milhões. Lula, naquela altura, era presidente da República.

“Nós tínhamos interesse, era exportação de bens e serviços, nos tínhamos fechado vários contratos em Angola e que só demandavam essa linha de crédito para fazer exportação de bens e serviços. Quando veio essa negociação, de 1 bilhão, como sempre a gente fazia, a gente tentou mostrar com embasamento técnico que ali era importante […] Nunca tinha tido uma solicitação até porque era uma coisa legítima. Já no caso específico dessa negociação, 2009 e 2010, até acho [que era] porque estava se aproximando a eleição, veio o pedido solicitado pra mim por Paulo Bernardo na época, que veio por indicação do presidente Lula, para que a gente desse uma contribuição de 40 milhões de dólares e eles estariam fazendo a aprovação de uma linha [de crédito] de 1 bilhão de dólares”, disse o ex-presidente da Odebrecht.

Como o dinheiro teria origem em negócios em Angola, Odebrecht conseguiu com a cúpula petista descontar 10% do valor, referentes ao custo da operação para transferir a cifra para o Brasil. Convertido ao câmbio da época, ao fim e ao cabo o repasse foi de 64 milhões de reais. O valor foi creditado diretamente na conta paralela que o PT mantinha junto à Odebrecht – e que era gerenciada pessoalmente por Marcelo Odebrecht. Uma parte desses recursos, como revelou o próprio empreiteiro, foi usada para pagar despesas de Lula.

É a primeira vez que vem a público um testemunho em que Marcelo Odebrecht afirma, com clareza, que o ex-presidente pediu dinheiro para abastecer a chamada conta da propina do PT – da qual ele próprio foi beneficiário, segundo o empreiteiro.

A conta registrou créditos de mais de 200 milhões de reais. Dela eram debitados repasses que a Odebrecht fazia ao partido e a seus dirigentes, de acordo com a necessidade. A Moro, Marcelo Odebrecht deixou claro que os créditos, invariavelmente, vinham de propinas negociadas com a cúpula petista.

Além do valor pago em troca da liberação do financiamento de 1 bilhão que bancaria contratos da empresa em Angola, Odebrecht conta que um outro aporte, de 50 milhões, veio de um pedido feito pessoalmente a ele pelo então ministro Guido Mantega. O valor foi liberado em troca de uma medida provisória editada pelo governo petista que beneficiou a Braskem, braço petroquímico do Grupo Odebrecht.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Lobão teria recebido R$ 5,5 milhões para interferir em obra da Usina de Jirau

edison-lobao-pmdb-ma-marcos-oliveira-agencia-senado

O senador Edison Lobão (PMDB-PA) é suspeito de receber R$ 5,5 milhões para interferir em obras do Projeto Madeira. A acusação aparece em inquérito autorizado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A PGR fez o pedido com base nas delações dos ex-executivos da Odebrecht.

Segundo depoimento de Henrique Serrano do Prado Valladares, Lobão, que consta na lista da Odebrecht com o apelido de “Esquálido”, recebeu o pagamento em espécie, entregue na casa de seu filho.

O dinheiro teria sido entregue para que ele interferisse junto ao governo federal para anulação da adjudicação da obra referente à Usina Hidrelétrica de Jirau.

Segundo o Ministério Público, o Grupo Odebrecht foi vencedor de processo licitatório referente à Usina Hidrelétrica de Santo Antônio, sendo que a empresa Tractebel-Suez venceu processo licitatório envolvendo a obra da Usina Hidrelétrica de Jirau, ambas integrantes do Projeto Madeira.

Outro lado

Antonio Carlos de Almeida Castro, advogado de defesa do senador Edison Lobão, diz que agora a defesa poderá, em inquérito, fazer o enfrentamento das denúncias. O senador nega as denúncias; a defesa informou que comprovará que os acusadores não tem prova ou indício do que dizem.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Flávio Dino divulga certidão e diz que não deu parecer em prol da Odebrecht

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), divulgou em suas redes sociais uma certidão e diz que não deu qualquer parecer a favor do projeto que beneficiava diretamente a Odebrecht enquanto era relator da matéria na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara. À época, Dino era deputado federal

Atualmente, o comunista está sendo acusado de receber R$ 400 mil de propina da construtora.

O chefe do Executivo estadual foi citado pelo ex-diretor da empreiteira, José de Carvalho Filho, durante o depoimento dado à Lava Jato. Segundo José de Carvalho, o comunista recebeu a suposta propina em troca de voto favorável ao Projeto de Lei 2.279/2007, que se aprovado atribuiria “segurança jurídica a investimentos do grupo Odebrecht”.

A denúncia foi feita pelo procurador-geral da República (PRG), Rodrigo Janot.

Flávio Dino nega todas as acusações.

certidao-flavio-dino-projeto-de-lei-interesse-odebrecht-lava-jato-e1492004372595


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.