Poder

Líder comunitário é morto a tiros dentro de casa em Imperatriz

Um líder comunitário identificado como Wanderley Rodrigues, de 53 anos, foi assassinado a tiros na madrugada desse domingo (18) dentro de sua própria casa situada na cidade de Imperatriz, a 626 km de São Luís.

Segundo a polícia, a vítima estava em sua residência localizada no Residencial Sebastião Regis, em Imperatriz, quando um suspeito efetuou os disparos de arma de fogo do portão da casa de Wanderley e com isto atingindo o líder comunitário. Wanderley ainda chegou a ser socorrido, mas não resistiu a gravidade dos ferimentos e morreu. Após a ação criminosa, o suspeito fugiu sem deixar pistas.

Policiais da Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoas (DHPP) esteve no local do crime, onde colheu informações sobre o ocorrido. Até o momento, ninguém envolvido no crime foi preso. Wanderley Rodrigues era presidente da Associação dos Moradores do Residencial Sebastião Regis e estava no seu segundo mandato.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Imperdível! Terra Nordeste estende feirinha para domingo

Com o sucesso da feirinha de⠀terça-feira e deste sábado, o grupo Terra Nordeste irá estender a feirinha para o domingo, dia 18, a partir das 7h.⠀

O Terra fica localizado na Ceasa e tem proporcionado aos clientes produtos de extrema qualidade e com preços imperdíveis.

Se você ainda conhece, amanhã é o dia de visitar e conhecer o melhor do hortifruti de São Luís.

Não perca a oportunidade! Estamos esperando vocês.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Hildo Rocha cobra celeridade nas obras da Codevasf

Mais uma vez, o deputado federal Hildo Rocha se reuniu com o diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Marcelo Moreira, a fim de tratar acerca de obras que estão com prazos de execução defasados e projetos que já deveriam ter sido iniciados.

Hildo Rocha é autor de emendas parlamentares individuais que asseguram a realização de obras de pavimentação, sistemas de abastecimento de água e construção de estradas municipais, entre outras obras.

“Frequentemente, prefeitos e prefeitas onde existem obras executadas pela Codevasf, me procuraram a fim de solicitar o meu apoio para que eu leve demandas dos municípios maranhenses aos gestores do órgão. Então, mais uma vez estive reunido com Dr. Marcelo a fim de tratar dessas demandas”, destacou Hildo Rocha.
A população quer resultad
os

O deputado ressaltou que em razão da lentidão na concretização de dezenas de projetos a população quer mais atenção por parte da Codevasf.

“Algumas obras, financiadas com recursos públicos captados por meio de emendas de minha autoria, que estão sendo executadas pela Codevasf no Maranhão estão muito lentas. Também existem muitos projetos que já deveriam ter sido iniciados mas ainda não saíram do papel. Então, solicitei ao Dr. Marcelo que agilize a execução dessas obras que autorize o início imediato dos projetos que já deveriam ter sido iniciados”, informou.

Água Para Todos

Hildo Rocha disse que também discutiu acerca do Programa Água Para Todos. O deputado sublinhou que ainda é grande a quantidade de comunidades maranhense que necessitam de investimentos nessa área. “Água é fonte de vida e muitas famílias que moram em comunidades rurais ainda sofrem pela escassez de água de boa qualidade”, enfatizou.

Comunidades beneficiadas

O parlamentar lembrou que hoje inúmeras comunidades são abastecidas por sistemas que foram financiados com recursos públicos federais provenientes de emenda parlamentar de sua autoria.

“Avançamos bastante, é verdade, mas, ainda estamos longe de atingirmos o ideal, pois muitas comunidades ainda sofrem por não disporem de água de boa qualidade e na quantidade necessária. Felizmente, Dr. Marcelo é um gestor sensível. Ele me garantiu que as obras da Codevasf irão ganhar novo ritmo e se comprometeu em buscar formas de atender as comunidades que ainda enfrentam dificuldades por falta de água potável”, explicou Hildo Rocha.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Desembargador aposentado é vítima de assalto em São Luís

Não somente os moradores dos bairros de classe baixa e média vê o índice de assaltos crescendo, mas também os de áreas nobres da capital maranhense.

E essa insegurança que monstra falhas por parte do Sistema de Segurança Publica, pasta gerida pelo delegado Jefferson Portela, tem deixado, também, atormentado aqueles que residem na Península da Ponta da Areia.

A mais recente vítima da criminalidade foi o desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA), Benedito de Jesus Guimarães Belo.

O magistrado, que já exerceu função de vice-presidente da Corte, foi assaltado nesta semana próximo do Empório Fribal, da Península, por cinco bandidos armados com pistola em um veículo fiesta de cor vermelho.

Durante abordagem, os elementos anunciaram o assalto e, posterior, roubaram relógio, bracelete, cordão e derrubaram Benedito Belo, que teve vários ferimentos. Os bandidos ainda não foram presos.

O Maranhão contabilizou alta nos casos de homicídio, latrocínio e lesão seguido de morte durante os 3 iniciais meses de 2021 comparado com o mesma data do ano anterior, segundo Monitor da Violência.

Janeiro e março deste ano, foi registrado 483 mortes no estado e 433 do primeiro trimestre do ano passado, caracterizando um aumento de 11,5%.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Distribuidora já abocanhou R$ 600 mil em contratos em São José de Ribamar em 3 anos

Localizada no Jardim das Mercês, em Paço do Lumiar, a distribuidora S.A. Pinheiro Silva Comércio e Serviços vem operando na Prefeitura de São José de Ribamar movimentando cifras altíssimas.

Pesquisa realizada pelo Blog do Neto Ferreira apurou que a empresa de Suene Amanda Pinheiro Silva atua no Executivo ribamarense desde 2018, quando ganhou o seu primeiro contrato no valor de R$ 12.470 mil para fornecer eletrodomésticos.

De lá para cá, a distribuidora venceu mais de 20 licitações, que tem como objetos o fornecimento de água mineral, materiais permanentes, consumo, limpeza, e eletrodomésticos. Os contratos totalizam R$ 619.143,34 mil.

Desse montante, a S.A. Pinheiro abocanhou um acordo contratual de R$ 22.400 mil para entregar alcool em gel para a Secretaria Municipal de Saúde de São José de Ribamar. A contratação foi realizada em caráter emergencial no final de agosto do ano passado e não consta no sistema do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Em 2021, a empresa voltou a ganhar contratos para fornecer água mineral para os órgão municipais pelo valor de R$ 89.290,24 mil.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Acusados de latrocínio contra comerciante são presos em duas cidades do Maranhão

A Polícia Civil do Maranhão (PC-MA) deu cumprimento, nessa quinta-feira (15), a dois mandados de prisão temporária contra dois suspeitos de envolvimento no latrocínio do comerciante José Augusto, de 61 anos, em abril de 2020, no Centro de Miranda do Norte. As prisões foram realizadas nos municípios de Trizidela do Vale e Itapecuru-Mirim.

Segundo a polícia, um dos suspeitos presos é apontado como a pessoa que deu apoio logístico para os outros criminosos. Ele foi encarregado de promover a fuga dos demais suspeitos após o latrocínio, assim como o transporte da mercadoria roubado.

Ainda segundo a polícia, há indícios de que esse mesmo suspeito foi o responsável pelo levantamento dos dados e rotina da vítima para a prática do crime. Já o segundo preso é apontado como autor dos disparos, à queima rouba, contra a vítima.

As prisões, realizadas em Trizidela do Vale e em Itapecuru-Mirim, foram efetuadas por policiais Civis da 14ª Delegacia Regional de Pedreiras. Em Itapecuru, o mandado foi cumprido no presídio municipal, pois um dos suspeitos está custodiado em decorrência de uma operação da Polícia Civil de Miranda do Norte e Regional de Itapecuru-Mirim, justamente, por suspeitas de envolvimento no latrocínio, sendo sua prisão temporária prorrogada.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Tentativa de barrar fundo eleitoral turbinado reuniu apenas cinco partidos

Uma tentativa de barrar o fundão eleitoral que praticamente triplicou os repasses públicos para campanhas políticas teve o apoio de apenas cinco partidos. Cidadania, Psol, Podemos e PSL foram os únicos a apoiarem uma mobilização feita pelo Novo, para rejeitar o fundo de R$ 5,7 bilhões incluído na votação da Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO) no Congresso na quinta-feira, 16. Atualmente, 24 partidos políticos têm representação na Câmara dos Deputados.

O Novo apresentou ao plenário um pedido de alteração do texto-principal, o chamado “destaque”, para retirar das regras do Orçamento a previsão de um cálculo para o financiamento de campanha. Com isso, o montante teria de ser definido na Lei Orçamentária Anual (LOA), a ser entregue pelo governo ao Congresso até agosto. Como há necessidade de cortar recursos, isso dificultaria o aumento. O pedido, porém, não conseguiu convencer a maioria das legendas.

A votação desse destaque apresentado pelo Novo foi simbólica, ou seja, sem a contagem nominal de votos. Dessa forma, não é possível saber exatamente como votou cada parlamentar em relação a esse tema, especificamente. A única votação nominal feita refere-se ao texto geral da LDO, que tratava de toda aplicação do dinheiro público no País, e não apenas de repasses para campanha.

As lideranças do Cidadania, Psol e Podemos se manifestaram em apoio ao pedido do Novo. Cerca de 15 minutos após o encerramento da votação, o PSL também se manifestou favorável. “Os deputados estão me acionando bastante para deixar registrado somente que o partido é contra o fundo eleitoral nos moldes em que está”, disse o deputado general Peternelli (PSL-SP), em nome do seu partido.

Na Câmara, Cidadania (8), Psol (9), Podemos (10), PSL (53) e Novo (8) somam 88 deputados, mas seriam necessários 257 votos para a aprovação do destaque.

“Nós somos contrários ao uso de dinheiro público para financiamento de campanhas. Na nossa opinião, dinheiro público tem que ser utilizado para a saúde, para a segurança e para a educação. Não faz nenhum sentido, na nossa visão, todos os cidadãos brasileiros pagarem essa conta, todos os cidadãos brasileiros financiarem partidos políticos e financiarem campanhas”, disse a deputada Adriana Ventura (Novo-SP), ao defender o destaque no plenário.

Ontem, o Congresso decidiu turbinar o financiamento das campanhas eleitorais de 2022, com uma mudança nas regras apresentada de última hora. A alteração na construção do Orçamento do próximo ano reserva R$ 5,7 bilhões para as campanhas do ano que vem. Esse montante (sem descontar a inflação) de dinheiro público representa um aumento de 185% em relação ao valor que os partidos obtiveram em 2020 para as disputas municipais – R$ 2 bilhões. É também mais que o triplo do que foi destinado às eleições de 2018, quando foi distribuído R$ 1,8 bilhão.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Ex-prefeito é condenado pelo TCE a devolver R$ 710 mil

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA) condenou o ex-prefeito de Santa Quitéria, Sebastião Araújo Moreira, a devolver um total de R$ 710,2 mil aos cofres estaduais. O débito decorre do julgamento irregular da Tomada de Contas Especial instaurada em decorrência da ausência de apresentação da prestação de contas do Convênio nº 075/2013 – SECID, celebrado entre o município e a Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano – SECID.

O valor do débito corresponde ao dano causado ao erário, uma vez que o gestor prestou contas apenas da metade do valor repassado, em um total de R$ 1,4 milhão. A multa imputada ao responsável é de R$ 38 mil. A decisão foi tomada na sessão do Pleno desta quarta-feira (15) e é passível de recurso.

Na mesma sessão, o Pleno do TCE julgou irregulares as contas de Jose Aldo Ribeiro Sousa e José de Arimateia de Sousa Ribeiro (São João do Paraíso, 2014, Administração Direta, com multas no total de R$ 28 mil).

Foram julgadas regulares as contas de Juarez Alves Lima (Icatu, 2011, Fundo Municipal de Saúde – FMS, com ressalvas e multas no total de R$ 10 mil), Robson Rios Portela (Câmara Municipal de Pedreiras, 2013, com ressalvas e multa de R$ 4 mil), Leomar Ferreira da Silva (Câmara Municipal de Benedito Leite, 2014, com ressalvas e multa de R$ 10 mil), Laureano da Silva Barros (Administração Direta, Benedito Leite, 2014) com ressalvas e multa de R$ 2 mil), Walter Lima Pinto (Câmara Municipal de Serrano do Maranhão, 2015), Vinictius Marcello Farias Castelo Branco (Água Doce do Maranhão, 2015, FMS, com ressalvas e multa de R$ 2 mil), Marly dos Santos Sousa Fernandes (Conceição do Lago Açu, 2013, Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb, com ressalvas e multa de R$ 20 mil), Dacio Rocha Pereira (Presidente Juscelino, Fundeb, 2012, com ressalvas), Raimundo Roberth Bringel Martins (Santa Inês, 2011, administração direta, com ressalvas e multa de R$ 14 mil), Nilton da Silva Lima Filho (Anajatuba, 2011, administração direta, com multa de R$ 36 mil), Raimundo de Oliveira Filho (Iterma, 2017), Julio Cesar Mendonca Correia (Agep, 2017), Robeval Costa Amaral (Câmara Municipal de Olinda Nova do Maranhão, 2015).

Receberam parecer prévio pela aprovação as contas de Francisco Flávio Lima Furtado (Duque Bacelar, 2011) e Antonio José Martins (Bequimão, 2015). E pela desaprovação, as contas de Arieldes Macario da Costa (Barreirinhas, 2015) e Creginaldo Rodrigues de Assis (São José dos Basílios, 2019).


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

STJ suspende expedição de precatório milionário contra Prefeitura de São Luís

O presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Humberto Martins, suspendeu a expedição de um precatório de R$ 4,4 milhões contra a Prefeitura de São Luís, relativo à dívida com uma construtora.

Segundo o ministro, a manutenção da decisão do Tribunal de Justiça do Maranhão que permitiu a expedição do precatório coloca as finanças públicas de São Luís em situação de “prejuízo considerável”, afetando a prestação de serviços públicos.

“Considerando se tratar de decisão proferida em caráter liminar, a prudência determina que se aguarde a manifestação colegiada do referido tribunal antes de se autorizar tamanho dispêndio de valores”, explicou o magistrado.

Inicialmente, a 4ª Vara da Fazenda Pública de São Luís revogou um despacho para a expedição do precatório e pediu esclarecimentos quanto ao valor determinado nos cálculos, de R$ 4,4 milhões.

A empresa, alegando que já teria direito ao precatório, recorreu da decisão. O desembargador relator do caso no TJ-MA deferiu o pedido da empresa e suspendeu os atos que impossibilitavam a expedição do precatório.

Grave lesão à ordem administrativa e econômica
Na sequência, a prefeitura ingressou com o pedido de suspensão no STJ. Alegou que a manutenção da decisão do TJ-MA tem o potencial de causar sérios prejuízos ao município.

O presidente do STJ, ao analisar o caso, disse que o município conseguiu demonstrar com clareza o risco de danos à ordem administrativa e econômica.

De acordo com Humberto Martins, a prefeitura fundamentou adequadamente o pedido de suspensão, sustentando que a liminar do TJ-MA não analisou vários aspectos controversos da questão: a possível exacerbação dos honorários advocatícios; a alegada invalidade do acordo, por incompetência da autoridade; e a existência de decisão transitada em julgado na Justiça Federal.

O ministro disse que todos esses fatos evidenciam o risco de lesão à economia pública, o que justifica a suspensão da expedição do precatório até a conclusão do processo na Justiça estadual.

Do Conjur


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Promotoria pede anulação de contrato entre advogados e Prefeitura de Presidente Dutra

O promotor de Justiça da Comarca de Presidente Dutra, Clodoaldo Nascimento Araújo, emitiu uma Recomendação solicitando ao prefeito da cidade, Raimundo Alves Carvalo, que anule o contrato com o escritório Rego Carvalho Gomes Advogados e proceda a abertura de certame licitatório para a aquisição dos serviços de assessoria e consultoria jurídica.

Segundo a Recomendação, o escritório de advocacia prestou serviços ao então candidato a prefeito eleito Raimundo Alves Carvalho nas eleições de 2020, violando assim o princípio da impessoalidade sua seleção e contratação sem a devida licitação.

No início de 2021, o Rego Carvalho Gomes Advogados foi contratado pela Prefeitura na modalidade de inexigibilidade de licitação, ou seja, a contratação foi direta, no valor de R$ 384 mil.

De acordo com o parecer técnico nº 133/2021 elaborado pela Assessoria Técnica da Procuradoria Geral de Justiça, houve irregularidades na contratação. Foi destacado que o objeto da inexigibilidade foi definido de forma muito ampla e que as atividades a serem realizadas, apesar de serem técnicos especializados, não apresentam, grau elevado de especialidade que justificasse a contratação direta de corpo jurídico externo, haja vista serem ações que poderiam ser executadas pela Procuradoria do Município de Presidente Dutra, que é composta por 05 procuradores, sendo 01 procurador-geral e 04 assessores jurídicos concursados.

No documento também é pontuado que a Administração Municipal não atendeu, também, às exigências contidas no art. 26, parágrafo único, incs. II e III, da Lei n 8.666/93, que trata da formalização do processo de inexigibilidade, Art. 26 (…) O processo de dispensa, de inexigibilidade ou de retardamento, previsto neste artigo, será instruído, no que couber, com os seguintes elementos: I – caracterização da situação emergencial ou calamitosa que justifique a dispensa, quando for o caso; II – razão da escolha do fornecedor ou executante; III – justificativa do preço.

O processo em análise não consta nenhuma outra proposta de preço que pudesse embasar a justificativa do preço proposto pela empresa. Deste modo, não há como a Administração de Presidente Dutra deduzir que o valor do objeto contratado de R$ 384 mil está em conformidade com os preços praticados no mercado.

O prefeito Raimundo Carvalho tem 10 dias para tomar as medidas cabíveis, sob pena de ser alvo de uma investigação no âmbito do Ministério Público.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.