Brasil

Muito cuidado ao entregar seu carro a um flanelinha ou a um manobrista

Por Milton Corrêa da Costa

Um guardador de carros (flanelinha), cujo proprietário do veículo tinha por hábito entregar-lhe as chaves para também manobrá-lo, perdeu o controle do automóvel, um Citroen Xsara, resultando num grave acidente, no início da noite desta quinta-feira, 17/11/, no bairro de Copacabana, no Rio, onde uma pessoa morreu e outras três ficaram feridas. William- até este momento só se sabe o primeiro nome do guardador- encontrava-se visivelmente alcoolizado  segundo testemunhas. Atrapalhou-se com o câmbio automático do carro batendo numa Kombi estacionada nas proximidades, indo esta em direção a uma praça atingindo uma mesa onde as quatro vítimas jogavam cartas. Mais um tragédia, cuja tipicidade de tal prática também vem se tornando rotina na barbárie do trânsito brasileiro. O flanelinha fugiu e talvez permaneça impune, quem sabe ad eternum.
                     
A realidade é que, com a saturação cada vez maior dos espaços públicos, em razão do aumento da frota de veículos no país, a procura por uma vaga, na tentativa de estacionar um veículo na via pública, principalmente nos grandes centros urbanos, tem sido uma problema para os motoristas. A estimativa da frota nacional hoje é de mais de 65 milhões de veículos. O país tem uma média de um carro para cada 2,94 habitantes e as vias públicas tiveram um aumento de 5,456 milhões de veículos, entre 2009 e 2010. O total de veículos, na última década, aumentou 119%, segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). A frota circulante em território nacional atingiu 64,817 milhões em dezembro de 2010, mas a malha viária teve a mínima evolução e quase nenhum planejamento para suportar tal impacto.
                
 Assim sendo, estacionar um veículo numa via pública, mormente em horário de expediente, em dias de semana, é como procurar uma agulha num palheiro. Guardadores são cada vez mais acionados para guardarem os veículos e os estacionarem onde for possível, mesmo em locais proibidos. É óbvio também que nenhum proprietário de veículo tem por hábito perguntar ao flanelinha ou ao manobrista se este é devidamente habilitado, inclusive para conduzir aquele espécie de veículo, se está com sua carteira de habilitação vencida ou não ou dele se aproxima para observar se exala hálito etílico, ou seja se ingeriu momentos antes uns copinhas de cerveja ou mesmo umas doses de pinga.
 
No entanto, o resultado da entrega do veículo a um guardador ou a um manobrista pode gerar ao proprietário ou ao seu condutor, graves consequências em casos de acidentes. As consequências podem abranger responsabilidades nas áreas criminal, cível e administrativa, dependendo do caso que ocorra. Na tragédia desta quinta-feira, em Copacabana, o proprietário do veículo poderá responder às penas do Artigo 310 do Código de Trânsito Brasileiro, se o guardador, causador do grave crime de trânsito, for inabilitado, ou se estiver com a habilitação suspensa ou cassada, ou se estiver, pelo estado de saúde física ou mental ou por embriaguez -as testemunhas afirmam que o flanelinha estava embriagado- sem condições de conduzir o veículo com segurança. A pena de detenção vai de seis meses a um ano ou multa.
 
Administrativamente responderá às penalidades do Artigo 163 do CTB, pela entrega do carro pelos mesmos motivos citados. Na área administartiva alei acresce o caso de entrega do veículo a condutor com a validade da Carteira Nacional de Habilitação vencida há mais de 30 dias ou ainda em caso de entrega do carro a pessoa que possua carteira de categoria diferente da do veículo em questão. A multa, de natureza gravíssima, em todos os casos, é de R$ 191,54,  agravada três ou cinco vezes o seu valor, dependendo do caso que se apresente, sem falar na apreensão do veículo ou mesmo no recolhimento do documento de habilitação do proprietário.
 
Na área cível será reponsabilizado por indenizações pelos danos físicos e materiais e despesas hospitalares resultantes do acidente e não cobertas pelos valores da indenização do seguro DPVAT. Também poderá ser o responsável por pensões decorrentes por morte ou invalidez permanente. Registre-se que o INSS, recentemente, adotou o expediente de cobrar na Justiça os gastos com benefícios previdenciários referentes a casos em que fica comprovada a culpabilidade do motorista,  como embriaguez e ou outros tipos de imprudência ao volante, sendo também o proprietário do veículo, portanto, responsável solidário de acordo com o fato ocorrido, se o condutor não possui condições financeiras para responsabilizar-se por tais indenizações. Ressalte-se que as Companhias Seguradoras só são obrigadas a cobrir indenizações de sinistros, dependendo de cada caso, em acidentes em que o motorista ou motoristas do veículo estejam  plenamente indicados nas informações contratuais.
 
Fica aí, portanto, o alerta e o ensinamento. Quem é proprietário de um veículo automotor normalmente é responsável pelo que ocorrer com ele. Antes de confiar a direção a quem quer que seja certifique-se de que pode não está cometendo uma imprudência que pode lhe custar muita dor de cabeça e muito caro. Cuidado, o seu próprio veículo pode se tornar, muitas vezes, uma perigosa arma disparada contra a sua própria cabeça. 
        
Milton Corrêa da Costa
Coronel da reserva da PM do Rio de Janeiro


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Weverton Rocha diz que 'Lupi usou avião no Maranhão em 4 trechos'

Weverton Rocha deputado federal

Weverton Rocha deputado federal

O deputado federal Weverton Rocha (PDT-MA) afirmou ontem quinta-feira (17) que o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, andou no avião de modelo King Air, em quatro trechos de viagem feita ao Maranhão em 2009.

Rocha acompanhou o ministro na agenda pelo estado, que combinou eventos do Ministério do Trabalho com compromissos de partido.

Segundo o deputado, Lupi embarcou pela primeira vez no turbo-hélice King Air em São Luís, a convite de Ezequiel Nascimento, ex-secretário de Políticas Públicas e Emprego

De acordo a revista “Veja”, o avião foi providenciado por um dirigente de ONGs que mantêm convênios com o ministério. O dirigente das ONGs, o empresário Adair Meira, disse que intermediou a cessão da aeronave, mas não pagou o aluguel.

Da capital maranhense, Lupi foi na aeronave para Imperatriz, segundo Weverton Rocha. De lá, relatou, pegou um carro para Açailândia, de onde embarcou no King Air novamente para Grajaú.

Em seguida, de acordo com o deputado, o ministro viajou, no mesmo avião, de volta para Imperatriz e, de lá, para Timon.

Quem pagou – Em entrevista, o empresário Adair Meira, citado em reportagem como o responsável pelo aluguel da aeronave, confirmou ter providenciado o avião, mas negou ter arcado com os custos. Ele é dirigente de ONGs que mantêm convênios com o Ministério do Trabalho. (Do G1)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Raiundo Lisboa começa a demarcar território em Bacabal

Blog do Louremar

Prefeito de Bacabal, Raimundo Lisboa

Prefeito de Bacabal, Raimundo Lisboa

A aliança Lisboa-Zé Vieira foi construída em etapas. Depois de escancarada a união do seu grupo com o do deputado Zé Vieira, o prefeito Lisboa inicia uma nova fase do plano.

É chegada a hora do Prefeito mostrar quem manda. Nessa nova etapa começará a ser usada a guilhotina para decepar a cabeça daqueles que não compactuam com o casamento dos dois caciques políticos.

A primeira vítima foi a irmã do deputado federal Alberto Filho. A odontóloga Luciana Veloso. De nada adiantou o seu irmão e o pai Zé Alberto estarem dando uma de polidos e civilizados participando de almoços ao lado de Lisboa. Ontem a jovem foi demitida.

Não deve ficar desempregada. Se ficar, não passa fome. O pai é rico fazendeiro. Pior é o que deve acontecer com o pessoal que não tem uma novilha nem de pelúcia.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Após audiência, Lupi diz que tem 'todas as condições' de ficar no cargo

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, afirmou na tarde desta quinta-feira (17) que tem “todas as condições” políticas de se manter no cargo. Lupi teria usado, durante viagens ao Maranhão em 2009, um avião pago pelo dirigente de uma ONG que posteriormente firmou convênios com o ministérios.

“Eu tenho todas as condições políticas [de manter o cargo]. Tranquilidade, serenidade e, repito, não há nenhuma acusação contra a minha pessoa […] Agora, meu cargo é de confiança da presidente da República. Depende dela. Eu já tive a conversa [com Dilma]. Já conversamos e eu vou continar trabalhando normalmente”, afirmou o ministro.

Na manhã desta quinta, Lupi falou por quase três horas na Comissão de Assuntos Sociais do Senado. Aos senadores, o ministro negou que tenha mentido ao afirmar que não conhecia o empresário Adair Meira, dirigente de ONGs posteriormente beneficiadas por convênios com a pasta. Lupi afirmou que não voltou atrás em relação ao depoimento prestado na Câmara, onde o ministro negou ter relações pessoais com Meira.

(Com informações do G1)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Segurança do empresário Glaúcio é baleado na porta de sua empresa

Seguranças do empresário conhecido por Gláucio arrumaram uma confusão na tarde desta quinta-feira, 17, na porta de sua empresa no bairro da Ponta D’Areia.

A briga motivada entre dois seguranças, um particular conhecido por Laércio e o outro segurança da empresa GAP, de propriedade de Gláucio.

Ao chegar na porta da GAP, Laercio tentou agredir o vigilante que é seu desafeto. E pior: o segurança em defesa sacou a arma e disparou sem pena 7 tiros contra Laércio, acertando apenas 1 na região do abdômen do segurança.

Neste momento a vítima se encontra em estado grave no Hospital Djalma Marques (Socorrão I)

Alguns funcionários da empresa estão prestando depoimento na delegacia do Bairro do São Francisco.

Daqui a pouco mais informações…


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Professora dá parte de João Castelo por agressão

Do Imirante

Professora Lindalva Batista

Professora Lindalva Batista

A presidente do Sindicato dos Profissionais do Magistério do Ensino Público Municipal de São Luis (Sindeducação), a professora Lindalva Batista, registrou um boletim de ocorrência da Delegacia Especial da Mulher contra o prefeito de São Luís, João Castelo. De acordo com a professora, em entrevista na rádio Mirante AM, ao tentar conversar com o prefeito, ele puxou seu terno e a chamou de ”maluca”.

O caso ocorreu no fim da manhã desta quinta-feira (17), na Prefeitura de São Luís, durante a posse dos conselheiros municipais de Educação.

”Quando eu fui falar com ele, ele veio de maneira muito agressiva, me chamou de maluca. Eu sabia que ele era acostumado a bater em estudantes, mas não sabia que ele batia também em professores! Então ele não me bateu porque ele disse que eu era mulher. Esse foi meu entendimento. É a segunda vez que ele me trata assim”, contou a professora Lindalva Batista.

Segundo a versão da professora municipal, ela foi tentar falar com o prefeito João Castelo sobre alguns problemas que estão ocorrendo na Educação Municipal, relacionados às condições de trabalho dos professores.

Segundo Lindaval Batista, a prefeitura ingressou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade contra a aprovação do Estatuto do Professor. ”Ele diz na ação que o estatuto foi eleitoreiro, que não foi aprovado de maneira correta, um absurdo!”, disse Lindalva.

Durante a discussão com o prefeito João Castelo, ele teria chamado um secretário para tentar resolver o problema. ”Disse a ele que era importante falar com ele. Como ele não recebe ninguém, aproveitamos esses momentos para tentar conversar com ele”, completou a professora. Lindalva contou, ainda, que três vereadores presenciaram a cena: Batista, Ivaldo Rodrigues e José Joaquim. ”Eles não fizeram nada, apenas me pediram calma”.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

100% das obras do aeroporto Cunha Machado só serão entregue em 2012

Imirante.Com

O novo terminal de passageiros do Aeroporto Internacional Marechal Cunha Machado, em São Luís, deve ficar pronto no ano que vem. A pista principal do aeroporto já foi liberada. 

 A pista principal do aeroporto já foi liberada e os voos que tinham sofrido alterações de horários já voltaram a funcionar normalmente. A pista menor está sendo recuperada por partes para não alterar o funcionamento do aeroporto.

 Essa manutenção nas pistas são obras programadas pela Infraero e ocorrem a cada dez anos. Já em relação ao terminal de passageiros, só no próximo ano as tendas serão substituídas pelo novo prédio.

 Praticamente está sendo construído um novo terminal de passageiros dentro do antigo terminal. O aeroporto vai ficar maior e todo climatizado.

 A estrutura do telhado, que ameaçava desabar, vai ser toda refeita. Estão sendo construídos novos banheiros, nova praça de alimentação e toda a parte de checking dos passageiros. Do lado de fora, a parte coberta da calçada vai ser duplicada.

 Assim que as obras do terminal de passageiros forem concluídas, a Infraero já começa a dar início do processo de licitação para obras de melhorias em outras partes do aeroporto.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Diz logo onde está essa grana João Castelo!

Por Matias Marinho

Fazenda de Castelo

Fazenda de Castelo

Não consigo compreender o porquê de uma Comissão Parlamentar de Inquéritos (CPI) para que se descubra o que foi feito com R$ 73 milhões, repassados pelo Estado para a Prefeitura de São Luís, por meio de convênios, e que por uma decisão judicial deveriam voltar para os cofres do Executivo Estadual, mas que não voltou, e, no fritar dos ovos, não se sabe que fim levou a grana.

Numa época em que os órgãos são obrigados a manter sites na internet de divulgação de receitas e despesas, para promover a transparência no trato com o dinheiro público, sinceramente não acredito que se precise chegar a tanto.

A não ser que o prefeito João Castelo continue com a mesma postura, em vez de dizer onde estão os R$ 73 milhões, opte por acusar o  questionador, no caso o “pé no saco” do Roberto Costa.

A bela fazenda do prefeito de São Luís

A bela fazenda do prefeito de São Luís

É bom que fique claro que mesmo sendo um pé no saco ou um calo no sapato de Castelo, é melhor que se diga logo que fim levou essa dinheirama, ou continuaremos com a mente maldosa imaginando milhões de coisas, como por exemplo, pensar que o dinheiro esteja enterrado nessa belíssima fazenda em Peritoró.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Prefeita de Paço do Lumiar permanece no cargo

Prefeita de Paço do Lumiar, Bia Venâncio

Prefeita de Paço do Lumiar, Bia Venâncio

A juíza Jaqueline Caracas da comarca de Paço do Lumiar, em decisão tomada na quarta-feira, 16, condenou Bia Venâncio prefeita de Paço do Lumiar (sem partido) a perda de alguns direitos políticos.

Em contato com o titular do blog na manhã desta quinta-feira, 17, o advogado da prefeita Venâncio, esclareceu que não houve afastamento do cargo, apenas uma suspensão dos direitos políticos pelo período de aproximadamente cinco anos, incluído uma multa.

Segundo o advogado, a decisão tomada pela da juíza Jaqueline Caracas não tem efeitos de afastamento de cargo, cabendo ainda dois recursos no Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA) e na última instancia do Supremo Tribunal Federal (STF).

Já alguns opositores da gestão de Venâncio, andaram espalhando falsas notícias, dando conta de uma possível cassação do mandato da prefeita de Paço do Lumiar. Que barricada!


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Brasil

Fernando Collor deve R$ 280 mil de pensão atrasada

Fernando Color

Fernando Collor

A Justiça de Alagoas tenta há dois anos notificar o ex-presidente e senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) sobre uma ação de cobrança de Rosane Malta Collor de Mello, sua ex-mulher.

O oficial de Justiça fez oito tentativas para encontrá-lo em Maceió. Não conseguiu em nenhuma delas.

Rosane cobra do ex-marido –de quem se separou em 2005, após 22 anos de casamento– uma dívida de R$ 280 mil, referente à diferença no valor da pensão paga por Collor durante dois anos.

Em 2007, o Tribunal de Justiça fixou em 30 salários mínimos (R$ 16.350) o valor da pensão. Como Collor pagava até então um valor inferior, Rosane quer agora receber o total retroativo da diferença.

A ex-primeira-dama conseguiu em janeiro que a Justiça bloqueasse um imóvel de Collor como garantia de pagamento, mas a decisão não foi publicada no “Diário Oficial” nem comunicada ao cartório de registro de imóveis.

A defesa de Rosane fez em outubro uma representação na Corregedoria do TJ contra a juíza Nirvana Coêlho, da 27ã Vara Cível, reclamando de demora no andamento da ação.

O advogado de Collor, Fábio Ferrário, disse que o senador mora e trabalha em Brasília e que não poderia mesmo ser encontrado em Maceió. Segundo ele, Rosane não tem do que reclamar, pois a pensão é paga em dia e no valor fixado pela Justiça.

Da Folha


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.