Crime

Veja quem são os presos acusados pela execução de Décio Sá

Foram presos na Operação “Detonando”, o pistoleiro Jhonatan de Sousa Silva, de 24 anos, José de Alencar Miranda Carvalho, de 72 anos, o agiota Gláucio Alencar Pontes Carvalho, de 34 anos, José Raimundo Sales Chaves Júnior (o Júnior Bolinha – 38 anos), Fábio Aurélio do Lago Silva ( o Buchecha – 32 anos) e o subcomandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar do Maranhão, capitão Fábio Aurélio Saraiva Silva. Todos eles são acusados de integrar o grupo que executou o jornalista/blogueiro Décio Sá, morto na Avenida Litorânea, em São Luís.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Assista a chegada do executor de Décio na Segurança Pública

Bandidos apreendidos

Bandidos apreendidos

O blog divulga as imagens da chegada do pistoleiro Jhonatan de Sousa Silva, que executou o jornalista Décio Sá, no Bar e Restaurante Estrela do Mar, na Avenida Litorânea. De acordo com o secretário Aluísio Mendes, o monstro que matou brutalmente Décio, confirmou que foi contratado por do empresário José Raimundo Sales Chaves Júnior, o Júnior Bolinha, e que o subcomandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar do Maranhão, capitão Fábio Aurélio Saraiva Silva, disponibilizou sua pistola ponto 40 (arma de uso exclusivo das forças policiais).

Assista abaixo as imagens:


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Assassinato de Décio Sá pode ter envolvimento de um político forte

Blog do Luis Cardoso

A governadora Roseana Sarney, indagada pela primeira vez , durante entrevistas coletiva, se no assasinato do jornalista Décio Sá teria envolvimento de políticos, disse que os detalhes serão fornecidos logo mais, às 15h00, pelo secretário de Segurança Pública, Aluízio Mendes.

Na segunda pergunta, no Palácio dos Leões, se haveria participação de um deputado no episódio, a governadora fitou firme o jornalista e respondeu: “por enquanto, não”.

Como se pode observar, as sete pessoas presas pelo crime de que foi vítima o jornalista estão bem abaixo de algum político forte que pode ter tido envolvimento com a morte. Por enquanto, conforme nos remete a resposta da governadora, apenas os empresários, agiotas, contratantes, um capitão da PM e um pistoleiro.

Ainda assim, o caso, ao que deixou transparecer Roseana Sarney, não parou, embora a elucidação tenha fechado em 100%. Mas resta uma prisão a ser cumprida e pode ser a de um político.

Durante toda a manhã de hoje eram fortes os comentários de que dois deputados estaduais sabiam de tudo o poderia ter envolvimento com o caso, mas ninguém se arrisca a comentar sobre nomes. Até mesmo alguns advogados  ouviram rumores da participação de  políticos.

Durante a entrevista coletiva, a governadora disse que a ordem era elucidar e prender mandantes e executores, doa a quem doer. ” Podia até cortar na nossa própria carne”, disse.

Roseana elogiou a bravura do jornalista Décio Sá por ter sido um profissional obstinado e destemido, sempre colaborando c0m o Maranhão na medida em que publicava sobre problemas e cobrava soluções.

“Estou muito feliz com a eficiência da polícia que deu a resposta que a sociedade estava esperando”, disse aliviada.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Governadora anuncia prisão de culpados pela morte de Décio Sá

Governadora Roseana durante a coletiva no Palácio dos Leões

Governadora Roseana durante a coletiva no Palácio dos Leões

A governadora Roseana Sarney, ao anunciar a prisão dos envolvidos na morte do jornalista Décio Sá, deixou claro que no Maranhão não há lugar para bandidos. A afirmação foi feita durante entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (13), no Palácio dos Leões. “Quando deixei o governo em 2002, o Maranhão era o estado mais seguro do Brasil, mas com a falta de determinação e punição por parte dos governantes que me sucederam o crime voltou a se organizar no Maranhão”, destacou.

Roseana Sarney parabenizou o trabalho da polícia maranhense, que elucidou o crime, e declarou ação efetiva de combate ao crime organizado. Acompanharam a governadora, o vice-governador Washington Luiz Oliveira; os secretários Aluísio Mendes (Segurança Pública), Luis Fernando Silva (Casa Civil), João Alberto (Programas Especiais), José Antonio Heluy (Trabalho e Economia Solidária), Hildo Rocha (Assuntos Políticos) e José Ribamar Vieira (chefe do Gabinete Militar); além do comandante Geral da Polícia Militar do Maranhão, coronel Franklin Pacheco; e a delegada geral de Polícia Civil, Cristina Menezes.

A ordem foi para prender os assassinos”, declarou Roseana Sarney ao afirmar que o governo deu todas as condições para que a polícia trabalhasse no caso. “Sinto-me mais confortada com o resultado das investigações, assim como a família do jornalista Décio Sá, profissional que muito trabalhou para desvendar problemas, mas acabou sendo penalizado com a execução”, ressaltou. A governadora disse que a polícia prendeu não apenas o executor do crime, mas também os mandantes.

“Não foi apenas um mandante, foram vários, mas a eficiência da polícia resultou na prisão de todos”, garantiu. Décio Sá foi morto com cinco tiros, no dia 23 de abril deste ano, em um bar da Avenida Litorânea.   A governadora Roseana disse que não tolera a ação do crime organizado, que em seu governo sempre será combatido pela polícia. “Investimos no aumento do efetivo policial, equipamentos, viaturas, tudo para dar mais tranqüilidade à população”. Ela anunciou, ainda, que vai realizar um novo concurso público para contratação de mais 2 mil policiais e novos delegados para reforçar as ações de segurança pública.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Em Buriticupu, Diretor de Obras é suspeito de assassinato

A Promotoria de Justiça da Comarca de Buriticupu ofereceu Denúncia, em 6 de junho, contra José Ferreira dos Santos, conhecido como Zé Peres, Manoel da Silva Oliveira, comumente chamado de “Manelão”, Francisco Teixeira de Oliveira Filho, Diego da Silva Lima, vulgo “Pitbull” e Roso Mario Marques Vieira. Todos estão envolvidos no assassinato de Raimundo Alves Borges, conhecido pelo apelido de “Cabeça”, presidente da Associação União Vila Casa Azul. A manifestação foi assinada pelo promotor de Justiça Gustavo de Oliveira Bueno.

Além da condenação dos citados, o Ministério Público requer a prisão preventiva de Roso Mario Marques Vieira.

Consta na Denúncia que, na tarde do dia 14 de abril de 2012, os acusados mataram Raimundo Alves Borges. O crime foi cometido na Vila Casa Azul, periferia do município de Buriticupu (a 404km de São Luís).

José Ferreira dos Santos criara inimizade com Raimundo Borges de Oliveira, por este ter excluído a sua filha Maria Claudete Santos Teles da entidade dois meses antes. Há, ainda, ações judiciais envolvendo Maria Claudete e Raimundo Borges.

Para a execução do crime, José Ferreira dos Santos contratou por R$ 5 mil Francisco Teixeira de Oliveira Filho. Por sua vez, Francisco foi auxiliado por Diego da Silva Lima e Manoel da Silva Oliveira. Eles executaram a vítima com vários tiros, depois de terem armaemboscada numa estrada vicinal.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Subcomandante do ‘Choque’ é preso acusado de envolvimento no crime Décio Sá

Capitão Fábio Aurélio Saraiva Silva

Capitão Fábio Aurélio Saraiva Silva

Foi preso na manhã desta quarta-feira (13) o subcomandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar do Maranhão, capitão Fábio Aurélio Saraiva Silva, acusado de integrar o grupo que participou da execução do jornalista/blogueiro Décio Sá, morto na Avenida Litorânea, em São Luís.

De acordo com o repórter Domingos Ribeiro, o capitão teria fortes ligações com o bando, no qual possivelmente disponibilizou sua pistola ponto 40 (arma de uso exclusivo das forças policiais).

Daqui a pouco mais informações.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Crime

Polícia elucida execução do crime de Décio Sá

Do G1

Jornalista Décio Sá, de 42 anos foi morto na Avenida Litorânea (Foto: Divulgação)

Jornalista Décio Sá, de 42 anos foi morto na Avenida Litorânea (Foto: Divulgação)

Sete pessoas já foram presas na operação “Detonando” deflagrada, na manhã de desta quarta-feira (13), pela polícia do Maranhão. Os presos são suspeitos de envolvimento na morte do jornalista Décio Sá.

O autor dos cinco disparos que mataram o jornalista está entre os presos. Ele tem 24 anos e é do Estado do Pará. Ainda segundo a polícia, as características do executor conferem com as mostradas no retrato falado, divulgado no dia 1º deste mês, mas ele estaria com os cabelos cortados. Os outros presos são das cidades de Santa Inês, Zé Doca e São Luís, no Maranhão.

Na operação, estão sendo empregados doze delegados e setenta policiais civis e homens do GTA. Os presos serão apresentados na Secretaria de Segurança Pública do Maranhão no início da tarde.

Entenda o caso
O jornalista Décio Sá foi assassinado no dia 23 de abril, com cinco tiros, em um bar da Avenida Litorânea, em São Luís. No mesmo dia do crime, as investigações foram iniciadas e uma recompensa de R$ 100 mil foi oferecida  pelo Disque-Denúncia por pistas que levassem ao executor de Sá.

Logo no início das investigações, agentes descobriram o pente da arma usada pelo assassino, que o deixou cair durante a fuga e testemunhas começaram a ser inquiridas para prestar esclarecimentos sobre o fato.

Contudo, três depoimentos de testemunhas vazaram na internet e, com isso, a polícia decretou sigilo absoluto para não atrapalhar as investigações.

Quase 40 dias após o crime, a polícia divulgou o retrato falado do suspeito de assassinar o jornalista Décio Sá. Com a veiculação da imagem, o Disque-Denúncia, em 24 horas, recebeu 60 ligações que indicariam o paradeiro do executor.

Um dos suspeitos de participar do assassinato do jornalista, Valdênio José da Silva, chegou a ser preso, mas por falta de provas consistentes, acabou sendo libertado. Na última segunda-feira (12), Valdênio foi assassinado dentro de casa, na Vila Talita, em Raposa (Região Metropolitana de São Luís), também com cinco tiros. Após 51 dias do crime, a polícia elucidou o caso e já prendeu sete apontados de participação no assassinato.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Cultura

35º Festival Guarnicê de Cinema continua até sábado, 16

Com apresentação da Petrobrás, a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), por meio do Departamento de Assuntos Culturais (DAC) da Pró-Reitoria de Extensão (Proex), realiza até sábado, 16, o 35º Festival Guarnicê de Cinema. As mostras competitivas acontecerão até sexta-feira, 15, no Teatro da Cidade de São Luís (antigo Cine Roxy). Já no sábado, 16, acontecerá solenidade oficial de encerramento, às 18h, no Teatro Arthur Azevedo. O festival tem entrada gratuita.

Aberto no último domingo, 10, pelo diretor do DAC, Prof. Dr. Alberto Pedrosa Dantas Filho, o Guarnicê teve sua sessão inicial prestigiada pelo Vice-Governador Washington Luís (PT); o Secretário de Estado de Esportes, Joaquim Haickel (PMDB); o presidente da Fundação Municipal de Cultura, Euclides Moreira Neto; o Gerente Geral de Relações Institucionais da Vale, Dorgival Pereira.

Também prestigiaram a solenidade de abertura do Guarnicê a Superintendente da Fundação Sousândrade Regina Luna e os gerentes do Banco do Nordeste, Letícia Sanches Assunção (Gerente Executiva) e Jarbas de Freitas Alencar (Desenvolvimento Territorial). Com apresentação do Ministério da Cultura e Petrobrás, o 35º Festival Guarnicê de Cinema tem patrocínio da Petrobrás, Vale e Banco do Nordeste.

A promoção é da UFMA (DAC/Proex) e a realização é do Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Cultura, e Fundação Sousândrade. O Guarnicê conta com o apoio cultural da Prefeitura de São Luís, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Restaurante Feijão de Corda, Fiema, Cepromar, Clara, Cia. Rio e Universidade FM. A programação completa pode ser acessada pelo site www.cultura.ufma.br e também no catalogo disponível no Teatro Cidade de São Luís.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Brasil

O aumento dos acidentes nas estradas, as carretas desgovernadas e os velozes e furiosos

Por Milton Corrêa da Costa

O número de acidentes, nas estradas federais, no recente feriado de Corpus Christi, cresceu 38% em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 160 óbitos ( 44 a mais), sem falar nos feridos gravemente, contra 116 do ano de 2011. A Polícia Rodoviária Federal atribuiu o crescimento dos acidentes fatais ao mau tempo registrado em muitas regiões do país. Por mais que as condições climáticas tenham influenciado no aumento dos óbitos, a imprudência, a ilusão de invulnerabilidade e o desrespeito às normas de trânsito continuam sendo, não há dúvida, as principais causas da brabárie do trânsito brasileiro. Registre-se que durante o recente feriasdão atores de televisão, entre outras celebridades, ( QUEM CUMPRE A LEI NÃO DEVERIA TEMÊ-LA) continuaram dando mau exemplo, negando-se a se submeter ao teste do bafômetro.

Por sua vez, as CARRETAS DESGOVERNADAS também prosseguiram dando causa a tragédias em rodovias e vias urbanas. Ressalte-se o grave acidente, da semana passada, em Belo Horizonte, onde na capital mineira três pessoas forma mortas por uma carreta sem controle, onde o motorista havia sido multado momentos antes numa rodovia por excesso de peso na carga transportada. Alegando falha mecânica (falta de freios) avançou três sinais, colidiu com vários carros e matou três pessoas, dentre elas um jovem casal de namorados, no interior de um veículo.Mais um homicida do volante que agora responderá por crime doloso.

Na madrugada de terça-feira, 12/06, um outro grave acidente matou pelos menos 10 pessoas, passageiros de uma van de turismo. A tragédia ocorreu numa rodovia federal em Nova Laranjeiras, na região central do Paraná. Segundo a Polícia Rodoviária Federal o motorista do caminhão ( e quase sempre o mesmo relato) perdeu o controle do veículo, invadiu a pista contrária e bateu de frente com a van. Resultou ferido e foi encaminhado ao hospital. Outro homicida entregue agora à benevolência da lei penal brasileira.

Para comprovar que a vida imita a arte, um cena cinematográfica, que nada fica a a dever às mais impresionantes e violentas cenas de filme de perseguição policial, um veículo, cujo velocímetro marcava mais de 130km/h ( a televisão mostrou), após invadir a contramão de direção na noite do ultimo domingo, 10/06, na rodovia Niterói- Manilha (RJ), DECOLOU e caiu sobre o teto de uma van lotada ( a foto impressiona) matando três de seus passageiros e ferindo cinco, que regressavam de uma festa. Mais um irresponsável, assassino do volante, agora sob a custódia da justiça.

Parece mesmo que não há mais o que se fazer para frear os irresponsáveis,os velozes e os furiosos do volante. Relatos de tragédias no trânsito brasileiro prosseguem no cotidiano da barbárie de rodovias e vias urbanas. O relato que se segue, sobre a dinâmica do acidente da Niterói- Manilha, não deixa dúvidas sobre a impotência da sociedade e de governos ante tão grave problemática. Não adianta cuidar e preocupar-se só com o meio ambiente se continuamos, num coomportamento anticidadão, matando e morrendo no trânsito como se fossemos seres não civilizados. Para nossa reflexão vejamos agora o relato de um impressionante acidente. Até quando?

VELOCÍMETRO DE VEÍCULO QUE DECOLOUEM ACIDENTE EM NITERÓI MARCAVA 130 km/h

Rio – Um grave acidente envolvendo três veículos, na pista sentido Itaboraí da Rodovia Niterói-Manilha, em Neves, São Gonçalo, deixou três pessoas mortas e cinco feridas na noite de domingo (10/06). Um velocímetro encontrado pelos agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no local da colisão marcava 130 km/h. De acordo com a polícia, o motorista do carro desgovernado após um choque NÃO POSSUI CARTEIRA DE HABILITAÇÃO.

Entre os feridos, quatro pessoas já receberam alta hospitalar. Apenas Wesley da Silva permanece internado no Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, em Niterói. O acidente começou com um veículo de passeio desgovernado – por ter sido atingido por outro carro – que invadiu a pista sentido contrário, decolou e ceiu no teto de uma van de lotada. Os dois carros se arrastaram engatados por cerca de 200 metros. Três feridos foram lançados para fora do carro. A pista ficou interditada por quatro horas e meia.

A colisão ocorreu por volta das 21h30, no km 319, na divisa dos município de Niterói e São Gonçalo. Segundo informações da PRF, a Fiat Tipo placa LAN-0377, com seis pessoas a bordo, seguia no sentido Niterói da rodovia. Na altura da passarela de Neves, em São Gonçalo, o motorista perdeu a direção, destruiu a tela de proteção e invadiu a pista sentido Itaboraí, decolou e bateu de frente na van placa LPE-9696. Uma kombi também foi atingida de raspão, mas ninguém do veículo se feriu.

Em entrevista à Rádio CBN, o agente da PRF Alexandre Esaú disse que o primeiro cenário ao chegar ao local do acidente foi encontrar os feridos no asfalto e os mortos nas ferragens. O motorista da Fiat contou ao policial que foi atingido na traseira por uma Fiat Stilo prata e perdeu o controle do carro. “Ele disse que não tinha a CNH (Carteira Nacional de habilitação) e não apresentou o documento. Estamos checando a veracidade dessa informação”, informou o inspetor.

O carro ficou sobre a van e os dois veículos foram parar acoplados a cerca de 100 metros do local da batida. Na pista ficaram destroços dos dois veículos, como uma das portas da van e a porta traseira e uma caixa de som do carro, além de peças de roupas. Três dos cinco feridos que estavam na van foram projetados para fora do veículo. Eles foram socorridos por ambulâncias da concessionária Autopista Fluminense e levados para o Azevedo Lima. A empresa informou que duas delas estão internadas em estado grave e três tiveram ferimentos moderados.

O motorista da van Jackson Sandro da Silva e a mulher dele, Flávia Nascimento, e uma mulher identificada até o momento apenas como Vanessa, que estava na Fiat, morreram nna hora presos às ferragens. Segundo conhecidos do casal, eles voltavam de uma festa. O clima no local era de comoção entre parentes e amigos das vítimas que estiveram no local.

“Foi um estrondo muito alto. Depois que destruiu a tela e tocou na grama a Fiat voou e caiu de frente no parabrisa da van. Os parentes que estiveram aqui estavam desesperados. Uma cena muito triste”, disse o frentista de um posto de combustíveis que fica em frente do local onde houve a colisão. Ainda segundo ele e outros frentistas, o trecho da Niterói-Manilha entre um quartel da Marinha e a Avenida do Contorno é considerado crítico devido ao grande índice de acidentes.

Por causa do acidente o trânsito foi desviado para uma pista auxiliar. O congestionamento chegou a cerca de três quilômetros. Ainda de acordo com a Autopista Fluminense, o trânsito foi totalmente liberado na pista a limpeza da via e a retirada dos veículos. A ocorrência foi registrada na 73ª DP (Neves).

Milton Corrêa da Costa é coronel da reserva da PM do Rio de Janeiro e articulista da ABETRAN.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.