Poder

Polícias continuam as buscas para capturar assaltantes da agência do BB de Santa Helena

O 10º Batalhão da Polícia Militar de Pinheiro, a Companhia de Operações Especiais (COE), o Grupo de Operações Especiais (GOE), o Grupo Tático Aéreo (GTA), policiais da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC), policiais civis e a 2ª companhia destacada da PM de Santa Helena, continuam nas buscas da quadrilha que roubou a agência do Banco do Brasil da cidade, ocorrida na quarta-feira (9), por volta das 17h30.

Conforme explicou o major da PM, Dário Bertoldo, subcomandante do 10º BPM de Pinheiro, cerca de 12 assaltantes armados de fuzis, encapuzados, e usando colete à prova de balas, adentraram na agência e roubaram uma quantia em dinheiro.

Ainda segundo o major, durante a ação criminosa, os bandidos levaram o dinheiro e fizeram seis pessoas de reféns, entre elas estava o secretário de Cultura do município Renato Caruso. Segundo o que foi apurado no local, a Polícia informou que os bandidos obrigaram os funcionários a abrirem todos os cofres e caixas eletrônicos.

Informações levantadas pelas Polícias apontam que no momento da fuga, os criminosos utilizaram diversos recursos. Minutos após o roubo, eles fugiram usando motocicletas e veículos para facilitar a fuga. De acordo com informações, para dificultar as buscas da Polícia, os assaltantes saíram dos veículos, que eles utilizavam, e seguiram fuga nas motocicletas.

O major Dário Bertoldo que está acompanhando os procedimentos policiais, explicou que o roubo a agência bancária foi muito bem planejado e arquitetado, já que eles entraram totalmente equipados e atearam fogo em dois veículos nas proximidades do campo de Turilândia sobre uma ponte, para dificultar a perseguição policial.

As primeiras informações da Polícia apontam que os integrantes da quadrilha haviam fugido em direção a BR 316 nas imediações do município de Presidente Médici. Veja abaixo a ação da quadrilha ao sair do Banco:


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Judiciário

Ex-prefeito de Dom Pedro é condenado por improbidade administrativa

O Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA) conseguiu na Justiça Federal condenar o ex-prefeito de Dom Pedro, José de Ribamar Costa Filho, por atos de improbidade administrativa na gestão de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental (Fundef). José de Ribamar Costa Filho terá que devolver R$ 109.073,80 aos cofres públicos, com acréscimo de juros e correção monetária.

Relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE/MA) identificou três irregularidades na prestação de contas oferecida pelo ex-prefeito, referentes ao Fundef do ano de 2001: fracionamento de despesas, ausência de procedimento licitatório e não aplicação do mínimo de 60% dos recursos do fundo com pagamento dos professores do ensino fundamental.

José de Ribamar Costa fracionou despesas com o fim de evitar procedimento licitatório na aquisição de carteiras e mesas, material de construção, combustível, peças para veículos e reforma de complexo educacional de Dom Pedro. Além disso, não aplicou 60% dos recursos na remuneração, aperfeiçoamento e habilitação de professores do município.

O relatório produzido pelo TCE/MA recebeu a chancela do MPF/MA, que propôs ação de improbidade contra o ex-prefeito em 2008. Uma equipe de analistas periciais do MPF/MA foi responsável pela identificação de diversas irregularidades nas operações bancárias do ex-prefeito, referentes aos recursos do Fundef.

Na sentença, a Justiça Federal condenou José de Ribamar Costa à multa civil e ao ressarcimento do valor de R$ 109.073,80 ao erário. Determinou a suspensão dos direitos políticos pelo prazo de cinco anos e a proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios fiscais ou creditícios, também pelo prazo de cinco anos.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

PSL ameaça romper com Roseana Sarney após indicação de Cléber Verde para Secretaria de Pesca

Chico Carvalho presidente do PSL

Chico Carvalho presidente do PSL

A governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), conseguiu transformar o seu governo, não só visando a parte técnica, mas sim a política, como de fato vem acontecendo com a recém-indicação do deputado federal, Cléber Verde (PRB), para Secretaria de Pesca do Estado, que será criada na próxima.

Informações dão conta que, a indicação se deu em face da pressão oriunda do PRB Nacional, e também do ministro da Pesca, Marcelo Crivela (PRB), a quem o deputado federal Cléber Verde usou de todos os meios para conseguir a então sonhada Pasta.

A ida de Verde para a Pesca enfraquecerá o setor pesqueiro, que não lhe ver com bons olhos, depois da última eleição, no qual ele obteve de colônias de pescadores cerca de 40 mil votos.

O parlamentar que utilizou a pesca para garantir praticamente 50% da sua reeleição, hoje é tido, como crápula, sem palavra e desonesto, após enganar pescadores com propostas de Projetos de Lei, que beneficiaria o setor com aumento salarial do programa federal Seguro Defeso.

De acordo com pescadores, Cleber Verde usou na época a imagem do deputado estadual, Edson Araújo (PSL), para se fortalecer em colônias de pescadores do Estado.

E mais: chegou a ser investigado durante a campanha eleitoral, pela Polícia Federal onde consecutivamente, o Ministério Público Eleitoral, através da procuradora Carolina Da Hora, pediu no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA) a cassação do mandato de Cleber Verde á Câmara Federal.

Na verdade, a minirreforma no governo Roseana Sarney atende apenas aos interesses políticos, pessoas e financeiros do empresário Fernando Sarney, que conspirou contra o (PSL) para ajudar o amigo ficha-suja e ex-prefeito de Caxias, Paulo Marinho.

Além da licença de Cleber Verde na Câmara, onde o jovem e suplente Ricardo Arché (PMDB ) assume a vaga,  o deputado federal Zé Vieira, se licenciará do cargo para abrir outra vaga ao suplente peemedebista, Paulo Marinho Júnior. Ou seja, uma jogada genial, ou de mestre.

Com isso, o PSL (Partido Social Liberal) ficou desprestigiado, e poderá romper a qualquer momento com o governo Roseana Sarney.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

“Oposição não pretende fazer CPI política”, diz deputado

Deputado Marcelo Tavares

Deputado Marcelo Tavares

O líder da Oposição, deputado Marcelo Tavares (PSB), declarou, que não faz sentido a afirmação de que parlamentares oposicionistas estão querendo criar uma CPI política para apurar casos de crimes de pistolagem praticados no Estado.

“Não existe na Oposição a intenção de fazer uma CPI política, até porque é impossível fazer uma CPI política nesta Casa, pela Oposição, porque nosso regimento não permite isso. A Oposição aqui na Assembleia Legislativa não tem condições de sozinha fazer uma CPI política”, afirmou Marcelo Tavares.

Ele explicou que a bancada oposicionista é formada por apenas 10 deputados e, no caso de formação de uma CPI, constituída de sete membros, caberia à Oposição indicar apenas dois nomes: um pelo Bloco formado pelo PSB, PPS e PCdoB, e outro membro pelo Bloco constituído pelo PDT e PSDB.

“Então se a Casa entende que não deve fazer uma CPI contra a pistolagem, o argumento não pode ser de que seria uma CPI política, porque nós não temos número para fazer uma CPI política. A partir do momento que a CPI fosse instalada, o presidente e o relator a serem eleitos com certeza seriam do governo, não seriam da oposição, porque nós só teríamos dois membros. Então é impossível para a bancada de oposição nesta Casa fazer uma CPI política”, argumentou.

Para Marcelo Tavares, as CPIs são importantes e precisam ter o apoio de parlamentares governistas e da oposição. Ele lembrou que, durante sua gestão como presidente da Assembleia, há dois anos, foram criadas duas CPIs, que obtiveram desempenho exitoso: a CPI do Combate à Pedofilia e a CPI do Caso Euromar.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

"Oposição não pretende fazer CPI política", diz deputado

Deputado Marcelo Tavares

Deputado Marcelo Tavares

O líder da Oposição, deputado Marcelo Tavares (PSB), declarou, que não faz sentido a afirmação de que parlamentares oposicionistas estão querendo criar uma CPI política para apurar casos de crimes de pistolagem praticados no Estado.

“Não existe na Oposição a intenção de fazer uma CPI política, até porque é impossível fazer uma CPI política nesta Casa, pela Oposição, porque nosso regimento não permite isso. A Oposição aqui na Assembleia Legislativa não tem condições de sozinha fazer uma CPI política”, afirmou Marcelo Tavares.

Ele explicou que a bancada oposicionista é formada por apenas 10 deputados e, no caso de formação de uma CPI, constituída de sete membros, caberia à Oposição indicar apenas dois nomes: um pelo Bloco formado pelo PSB, PPS e PCdoB, e outro membro pelo Bloco constituído pelo PDT e PSDB.

“Então se a Casa entende que não deve fazer uma CPI contra a pistolagem, o argumento não pode ser de que seria uma CPI política, porque nós não temos número para fazer uma CPI política. A partir do momento que a CPI fosse instalada, o presidente e o relator a serem eleitos com certeza seriam do governo, não seriam da oposição, porque nós só teríamos dois membros. Então é impossível para a bancada de oposição nesta Casa fazer uma CPI política”, argumentou.

Para Marcelo Tavares, as CPIs são importantes e precisam ter o apoio de parlamentares governistas e da oposição. Ele lembrou que, durante sua gestão como presidente da Assembleia, há dois anos, foram criadas duas CPIs, que obtiveram desempenho exitoso: a CPI do Combate à Pedofilia e a CPI do Caso Euromar.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Retorno de Nenzim é comemorado na Assembleia

O deputado e filho do prefeito recém-afastado de Barrra do Corda, Rigo Teles (PV), comemorou o bastante na Assembleia Legislativa, o retorno de Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim, a cargo.

A volta de Nenzim foi comemorada, também, pelo grupo político ligado a ele, que ficou na frente do prédio da Câmara Municipal de Barra do Corda para assistir a  posse.

Segundo o parlamentar, a volta de do seu pai, foi decidida pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Gilson Dipp, que suspendeu a decisão do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ/MA), afastando o prefeito do cargo.

De acordo com ele, Nenzim volta ao comando da Prefeitura dando prosseguimento ao restante do mandato.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Justiça Federal manda demolir obra em Codó que custou mais de R$ 1 milhão

Do Estado do Maranhão

Uma certidão de ocorrência da Polícia Federal (PF) mostra que, em fevereiro de 2008, a Prefeitura de Codó iniciou a construção da extensa área de lazer da avenida 1º de Maio, obra prometida no período de campanha, inclusive com maquete nos programas eleitorais do ex-prefeito Biné Figueiredo.

Só que a obra foi iniciada dia 25 de fevereiro de 2008, dentro da faixa de 15 metros, medidos a partir da linha férrea da antiga Companhia Ferroviária do Nordeste, hoje Transnordestina Logística S.A, que considera o espaço de domínio exclusivo.

A empresa diz no boletim que alertou da irregularidade, o encarregado, Domingos Araújo Costa, e o secretário de Obras da época, Hildemberg Oliveira, teriam concordado em parar a execução, mas, no dia 29 de fevereiro do mesmo ano, reiniciaram a construção, parando apenas quando ela foi concluída.

Briga na Justiça – Desde então, começou uma batalha na Justiça. Agora saiu a sentença do juiz federal Agliberto Gomes Machado e o que ela determina não é nada animador, sobretudo, para quem valoriza os recursos que saem dos cofres públicos, já que estamos falando de uma obra que custou, na época, cerca de R$ 1.200.000.

A Justiça Federal deu ganho de causa à Transnordestina Logístia S.A e ordena a reintegração de posse, com a consequente demolição de todo o chamado complexo de lazer da avenida 1º de Maio.

População não quer – A decisão mexeu com a população, que já tem uma opinião contrária à determinação. A dona de casa, Carla Pereira, explicou seus motivos. “Não pode, porque aqui é um lazer para todo mundo, para os jovens, para as crianças, principalmente, para caminhadas”, reclamou.

Para o autônomo, Laércio Oliveira, seria desperdício demasiado de dinheiro público. “Já gastaram tanto…R$ 1.200.000…a gente já não ganha mesmo do governo, ele já investe para nós e depois para demolir. O que a gente ganha? Sai perdendo da mesma forma”, disse.

Defesa atual – A procuradoria-geral, Ricardo Torres, fez questão de lembrar, em entrevista ao Imirante, que trata-se de um caso gerado por outra administração, obviamente, pela de Biné Figueiredo, mas que, no dever de defender o município, já está tomando providências uma vez que o prazo para tentar reverter a decisão termina em 30 dias.

Para este período, o juiz concedeu o direito ao município de recorrer sem que haja a imediata demolição da obra. “Devemos recorrer, a partir de agora, ao TRF, em Brasília, para que a gente procure reverter essa sentença pelo menos para ganhar mais tempo, para que não tenha este prejuízo para nossa cidade”, explicou o procurador-geral, advogado Ricardo Torres.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Aplicação da Lei de Meia-Entrada é tema de reunião entre entidades estudantis

Membros da Central Estudantil (CES), Movimento Estudantil Independente (MEI), representantes do PROCON, SEMFAZ, Delegacia do Consumidor, 1º Vara da Infância e Juventude da capital e produtores estiveram reunidos na manhã desta quarta-feira, 09, na Supervisão de Áreas Integradas de Segurança Pública (SAISP) no bairro do Turu para discutir melhorias no sistema de meia-entrada na capital.

Reunião com lideres

Reunião com lideres

O delegado e Superintendente da Policia Civil de São Luis, Sebastião Uchôa abriu os trabalhos dando boas vindas aos empresários e representantes da comunidade, na ocasião: os membros do movimento estudantil, que atuam na área cultural da capital. Uchôa ouviu dos presentes sugestões e questionamentos sobre os serviços prestados pela Secretaria de Segurança do Governo do Estado e se colocou a disposição para tentar ajudar os empresários do setor. Logo em seguida a representante da Central Estudantil, Clarissa Almeida deu inicio ao bate-papo falando sobre os problemas enfrentados pelas entidades estudantis junto aos produtores e donos de casa de show na capital e ressaltou alguns como: “Cover artístico cobrado em bares, casas de ventos e restaurantes aos estudantes, sendo que os mesmos não possuem o direito de pagar meia, a disponibilização de ingressos de meia para camarotes e terraços vips e o direito a pagar meia em promoções efetivadas durante a venda dos ingressos de shows na ilha”.

A Supervisora de Fiscalização da SEMFAZ, Luciana Carvalho falou sobre o trabalho desempenhado pela secretaria e pediu a compreensão dos empresários e da classe estudantil para que ambos conseguissem alcançar seus objetivos. “É necessário que o dono da casa de show ou produtor possa estar chancelando com antecedência os ingressos de meia-entrada junto a Secretaria Municipal de Fazenda (SEMFAZ), sendo assim, isso não lhe causará problemas e os mesmos estarão contribuindo com os lideres estudantis que também tem um papel fundamental neste processo, o de fiscalizar e denunciar o individuo que não esteja cumprindo a Lei Municipal”, ressaltou a supervisora.

Entre os assuntos abordados durante a reunião estiveram em pauta também: a presença de menores de 18 anos em casa de show e eventos, melhorias na divulgação da lei da meia- entrada e do cartão unificado, prazos e validades em carteiras estudantis, reativação da comissão permanente de meia-entrada que funcionava de forma conjunta com a SEMFAZ.

Participaram ainda do encontro assessora especial do Procon no Maranhão, Rayana Pereira Arraes, a delegada do consumidor, Uthânia Moreira, o delegado Carlos Damasceno, o representante do Movimento Estudantil Independente (MEI) Rafael Diniz, o assessor jurídico da CES, Raimundo Penha e a assessora jurídica do MEI,  Vilma Freitas.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Emocionado, Hemetério Weba fala sobre envolvimento em CPI do Crime Organizado

Deputado Hemetério Weba

Deputado Hemetério Weba

O deputado Hemetério Weba (PV) voltou a ocupar a tribuna, para esclarecer o episódio da CPI do Crime Organizado, na qual o parlamentar foi convocado, e disse que o pronunciamento “foi para falar sobre o assunto do qual me imputaram em 1999 como quadrilheiro, como um dos maiores traficantes do Estado do Maranhão e tudo isso que eu passei na minha vida tem que ser esclarecido agora, porque o povo do Maranhão que não me conhece, às vezes, tem uma péssima imagem do deputado Hemetério, da pessoa do Hemetério, do homem que ocupou três mandatos de prefeito nesse Estado do Maranhão e dois de deputado estadual”.

O deputado afirmou que ficou calado um bom tempo porque naquela época não tinha voz e nem vez para utilizar a tribuna da Casa, para que aqui pudesse botar a limpo aquilo que aconteceu em 99. “Quando envolveram o meu nome naquele episódio, só fui envolvido porque denunciei bandidos daquela região onde eu morava. Em momento nenhum, no pronunciamento passado, fiz em nome desonra, disse apenas que nesta Casa está hoje ex-secretário de Segurança Pública e atual deputado estadual pelo Maranhão, e que ninguém mais do que ele poderia mostrar seus relatórios do que foi investigado da pessoa de Hemetério Weba”, explicou.

Hemetério Weba rebateu o colega Raimundo Cutrim (PSD), que em pronunciamento anterior negou que o tenha investigado, quando foi secretário de Segurança do Estado. O parlamentar do PV reafirmou que foi investigado pela Secretaria de Segurança e deu outros esclarecimentos a respeito do episódio, inclusive dos delegados ligados a Cutrim.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Poder

Civil prende família de traficantes em São Luís

Policiais civis lotados no 10º Distrito Policial, do Bairro do Bom Jesus, prenderam, Maria Goreth Silva dos Anjos, 51 anos, e as irmãs Michelle dos Anjos Botão Lisboa, 28 anos, e Liliane Silva dos Anjos, 34 anos, no Bairro Sacavém, em São Luís.

A prisão se deu em razão a um cumprimento de mandado de prisão preventiva pelo crime de tráfico de drogas, expedido pela Comarca de São José de Ribamar.

Segundo o delegado titular do 10º DP, Jaligson Elon Freire, Maria Goreth é mãe das irmãs. Os policiais civis de São José de Ribamar receberam uma denúncia anônima de que na residência das suspeitas funcionava um ponto de venda de drogas. Eles fizeram as devidas diligências, e encontraram uma grande quantidade não contabilizada de entorpecentes no local.

A família se evadiu da residência, e se refugiou em uma quitinete, no Sacavém, onde os agentes civis, depois de receberem outra denúncia anônima, conseguiram prender as traficantes.

Maria Goreth Silva dos Anjos, Michelle dos Anjos Botão Lisboa, e Liliane Silva dos Anjos foram apresentadas no 10º DP, e logo depois serão encaminhadas para a Penitenciária Feminina de Pedrinhas.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.