Maranhão

Governo identifica indícios de crime de sonegação

Novas irregularidades em operações de comércio exterior realizadas por empresas com sede no Maranhão para sonegar o Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) foram identificadas pela Secretaria de Estado da Fazenda.

As primeiras 35 grandes empresas investigadas simularam operações de exportações no valor de R$ 25,6 milhões nos anos de 2013 e 2014, deixando de recolher ao Estado R$ 4,3 milhões de ICMS, pois as mercadorias nunca haviam saído do país e foram comercializadas no mercado interno.

As empresas envolvidas nas investigações emitiram notas fiscais simulando exportações (isentas do ICMS), que sairiam do país pelo porto do Itaqui. As supostas operações de exportações também foram informadas em suas declarações mensais entregue na SEFAZ. No entanto, a Secretaria da Fazenda constatou que documentos que comprovam as exportações não foram emitidos pelos órgãos que controlam o comércio exterior.

De acordo com o secretário Marcellus Ribeiro Alves, as mercadorias nunca saíram do país e foram comercializadas em outros Estados da Federação ou mesmo no mercado maranhense. “Com a simulação de operações de exportação e a venda das mercadorias no país, as empresa deixaram de recolher o ICMS com as alíquotas de 12%, nas operações interestaduais e 17%, nas operações no território maranhense”, explicou o secretário Marcellus.

As informações recebidas pela SEFAZ revelam que grandes empresas do Estado que operam nos ramos de comércio de combustíveis, mineração, industriais, tradings, produtores e frigoríficos simularam operações de exportação de mercadorias que não saíram do país.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários