Judiciário

Polícia deve prender ex-presidente da Assembleia por financiar corrupção

Carlos Braide é um dos suspeitos de integrar quadrilha com forte esquema de corrupção em Anajatuba

Braide pode ser preso a qualquer momento

Braide pode ser preso a qualquer momento

Corre nos corredores do Tribunal de Justiça uma intensa movimentação para tentar evitar a prisão do ex-presidente da Assembleia, Antônio Carlos Braide. Ele é apontado como o “cabeça” de uma quadrilha, composta por 27 membros, que desviou quase R$ 14 milhões dos cofres públicos de Anajatuba. Caso que ganhou repercussão nacional no quadro do Fantástico – Cadê o dinheiro que estava aqui?

O desembargador que cuida do caso, João Santana, tem se mostrado disposto a assinar o decreto de prisão, que foi pedido por promotores de justiça.

João Santana assumiu o processo do escândalo de Anajatuba em decorrência dos seus amigos da 1ª Câmara Criminal, Antônio Fernando Bayma de Araújo e Raimundo Nonato Magalhães Melo, terem optado, misteriosamente, pela suspensão do julgamento.

O mesmo tem recebido pressão por parte dos advogados de Braide, que tentam usar de influência para evitar sua prisão. Contudo, o desembargador mantém uma conduta séria e não deve se submeter à chantagem para favorecer o réu, principalmente por ter sido empossado como membro da corte por mérito.

O desembargador foi eleito no Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), em novembro de 2014, sendo o único candidato à vaga pelo critério de antiguidade. Ele venceu por unanimidade, com 1.948 votos.

A qualquer momento deve ser dada a canetada para que o mandado de prisão de Braide e companhia sejam cumpridos.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários