Judiciário

Juiz que retornou prefeito de Anajatuba pode ser denunciado ao CNJ

Advogado de Helder Aragão representou Luiz Gonzaga Almeida Filho em processo do caso Euromar

Juiz, Luiz Gonzaga Almeida Filho

Juiz, Luiz Gonzaga Almeida Filho

Quando é impossível acreditar que não há mais o que ser feito para resolver problemas que abalam profundamente a estrutura do ser humano, que se ver impotente em meio a situações sem resoluções, o senso comum apela para a sede de justiça.

De modo geral, a justiça diz respeito ao que é correto, com a conformidade de avaliar o que é justo. Contudo, em meio às crises e escândalos que o país vem enfrentado corriqueiramente fica cada dia mais difícil entender como o poder é usado de forma massiva, para defender interesses próprios, quando deveria ser usada a virtude para dar a cada um aquilo que é seu.

Infelizmente, a mesma justiça que pune e usa com precisão o significado da palavra é a mesma que falha, que sem consciência comete erros perceptíveis perante a sociedade que só queria uma resposta para saciar a dor e revolta causadas por quem não tem respeito e se aproveita de pessoas indefesas.

Ontem (25), o juiz Luiz Gonzaga Almeida Filho foi o responsável pelo retorno ao cargo de Hélder Aragão à prefeitura de Anajatuba. O prefeito é acusado de fazer parte de uma organização criminosa que fraudava licitações e desviava recursos públicos do município. Cerca R$ 14 milhões foram retirados do erário público por uma cúpula que usava as empresas Vieira e Bezerra, atual FCB Produções e Eventos, A4 Serviços e Entretenimento, Construtora Construir e MA Silva Ribeiro.

Quanto mais se fala sobre as irregularidades cometidas por Helder Aragão na prefeitura de Anajatuba, mais fatos curiosos aparecem a cerca de seu envolvimento. O que muitos não sabem é que o juiz em questão, Luiz Gonzaga, está no exercício da função de desembargador após decisão do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Maranhão afastar temporariamente o desembargador Jaime Ferreira de Araújo.

Luiz Gonzaga foi um dos quatro juízes denunciados pelo empresário Alessandro Martins, no caso Euromar, ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Além disso, o advogado Carlos Seabra, que representou o juiz no CNJ é o mesmo que atua na defesa do prefeito Hélder Aragão. Coincidência ou não, a liminar da juíza Mirella Cezar Freitas, que afastou Helder do cargo por suposto ato improbidade administrativa, era baseado em muitas provas. Vídeos e áudios que comprovam o envolvimento do prefeito em todo esquema.

Outro fato que chama atenção é o número de volumes que deveriam ser estudados pelo juiz – 61 no total, para que ele chegasse a uma conclusão sobre o caso. Mesmo assim, o desembargador entendeu não serem suficientes às provas para manter o prefeito afastado do cargo.

Agora, Luiz Gonzaga pôs em risco à carreira, quando seria de bom tom apenas dar-se por impedido e não julgar o caso. É perceptível que há um vínculo entre o magistrado, a defesa de Helder e o próprio prefeito. Uma amizade que pode parar em lugar nenhum ou os homens do poder acreditam que vivem uma história hollywoodiana que terá um final feliz. O ditado popular é certo – “a justiça tarda, mas não falha”.

Talvez o juiz deva ter esquecido que ao responder processo no CNJ fica impedido de torna-se desembargador de fato, mesmo que por antiguidade. Desta forma, Luiz Gonzaga está vulnerável a mais uma denúncia por não pensar na consequência do seu ato.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

8 comentários em “Juiz que retornou prefeito de Anajatuba pode ser denunciado ao CNJ”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Neto

    SÓ O CNJ ainda não sabe das farras das liminares, um comércio que hoje comparo a feira da cohab onde se oferece o produto no meio da rua, digo nos corredores dos tribunais, tudo pago pela corrupção isso está claro e notório a anos mais como juiz no Brasil é DEUS, fazer o que???

  2. Gabriel

    provado em fantástico, provado em escanda-los…. parem de achar que o povo é burro!!! pq burro são vcs que acham que o Desembargador também é! fantástico deu enfase ao caso Hélder Aragão unica e exclusivamente pq foi o vice de fez as denúncias! MP tinha que fazer seu papel de investigar e acusar! mas as provas que o dinheiro foi desviado ou enriquecimento do prefeito aonde estão? oq o Desembargador fez foi simplesmente analisar as acusações do M.P e as provas que de o prefeito Hélder Aragão NUNCA prejudicou o erário do município! Doa a quem doer! uma coisa é fazer midia na globo e outra é ser verdade!

  3. Marai Fernanda

    Vergonhoso para não falar imoral!!!

  4. Jose João Macedo

    Concordo Neto,só o CNJ insiste em não saber dessa industria de liminares,principalmente no retorno de Prefeitos comprovadamente afastados de suas funções,pelos juízes de primeira instancia que,se faça JUSTIÇA,junto com o Ministério Público os jovens integrantes,estão magnificamente cumprindo seu dever Constitucional MAS…quando chega ao TJ-Ma.,todas as provas amplamente divulgadas,são por alguns membros da nossa Corte Maior,sabe-la lá “embasados” em que,são prontamente retificadas.Ví ontem o retorno do Prefeito de Pedreiras,Sr.Totonho Chicote,depois de cometer barbaridades na administração do município.E,tem mais prestem bem atenção quando essas liminares são concedidas nos plantões.Não conheço nenhum dos beneficiados mas como brasileiro que assiste,o Juiz Sérgio não medir esforços para COMEÇAR limpar esse País,o Maranhão(que foi o ultimo Estado à reconhecer a Independencia do Brasil)não mais continue com claros indicios de injustiça,para com o pobre e miserável habitantes é lógico,com tantas provas contra o réu e sua absolvição é no mínimo SUSPEITA.Coma a palavra o CNJ/Receita Federal etc.,

  5. Roberto

    Esse tribunal de justica e um antro de corrupcao pra lava jato nenhum botar defeito. O comercio de liminar ta escancarado,qualquer hora dessas vai aparecer um desembargador ou juiz sendo filmado pegando proprina de prefeito, uma hora a casa cai.

  6. Dutra

    Precisam ver a festa que a “panela” está fazendo pela volta do prefeito Hélder, acredito que a justiça ainda vá ser feita, na hora certa, já vi 6GB de processo em pdf, do caso Helder, provas, escutas, extratos de contas da prefeitura e muito mais, é perceptível até para leigos que houve sim fraude em licitações, que há sim bandidagem dentro da prefeitura de Anajatuba, verbas milionárias vieram para nossa cidade e foram desviadas na maior cara de pau, tem uma estrada que liga alguns povoados à sede da cidade que recebeu verba destinada à obras de pavimentação de mais de 1,3 milhão de reais, e apenas uns 2,5km foram construidos, e pra onde foi o resto da verba? Bolso meu amigo, bolso.
    E quem sofre é o povo, ainda tem alguns com mais cara de pau que o prefeito que vêm defender o malfeitor!
    Que a justiça aconteça!

  7. Jose João Macedo

    Ví semana passada passada no portal TERRA,um helicóptero da Receita Federal do Brasil,sobrevoando áreas nobres de Porto Alegre.Certamente para cruzar informações com o IRPF.Que tal propormos ao referido orgão,fazer o mesmo em residencias de magistrados e parentes.O Detran também pode contribuir.Em tempo,extensivo à todos que residem em nossas areas nobres.Não,meu caro Roberto,essa filmagem jamais vai aparecer,existem assessores,auxiliares,parentes etc.,para essas espúrias negociações.

  8. leo

    Qual justica voces falam????no brasil nao existe justica,.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários