Judiciário

Comemoração antecipada de julgamento da prefeita de Itinga deixa TRE sob suspeita

Uma estranha movimentação está acontecendo com os embargos protocolados pela prefeita de Itinga, Vete Botelho, que devem ser levados pelo desembargador Guerreiro Júnior nesta quinta-feira (11), para apreciação do plenário do Tribunal Regional Eleitoral.

Ocorre, porém, no município de Itinga comenta-se que a prefeita articulou financeiramente junto a Corte Eleitoral para derrubar as duas decisões de cassação de mandato.

Vete e seu vice tiveram o mandato de prefeita cassado pelo juízo da 98ª zona eleitoral (Açailândia) em dezembro de 2013 e foi confirmada também na quinta-feira, 20 de novembro, pelos magistrados do Tribunal Regional Eleitoral maranhense (reveja).

O juiz Sebastião Clodomir Reis que antes era o relator, se deu por impedido sendo distribuídos os embargos e um outro processo de caixa dois para o corregedor Guerreiro Júnio.

Na última decisão do colegiado, Guerreiro Júnior votou pela cassação da prefeita e deve também manter o mesmo voto pela consciência ética e moral do desempenho na magistratura.

O fato é que se o colegiado voltar atrás da decisão, embora dias atrás optado por unanimidade pela cassação, resultará em uma desmoralização colocando o Tribunal Regional Eleitoral como facilmente corrompido, corruptível e subornável. Ou seja, venal.

Mas, este blog pensa ao contrário.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários