Judiciário

Juiz Pedro Guimarães leva “puxão de orelha” do TRE

A ‘SUSTAÇÃO’ que agora, é ‘ANULAÇÃO’ decorreu que o TRE considerou que Pedro Guimarães não poderia ter sentenciado antes que o Tribunal decidisse se era ou não SUSPEITO.

Depois de conseguir dia 15 de abril, no Tribunal Regional Eleitoral ‘sustar’ duas sentenças do juiz Pedro Guimarães Junior (7ª Zona Eleitoral), entre elas a que anulava votos, cassava os diplomas e tornava prefeito e vice inelegíveis, Zito voltou a ter mais uma vitória no TRE.

O advogado Daniel Leite entrou com um embargo de declaração (recurso usado para que juízes esclarecem suas decisões) e conseguiram. Dia 14 de maio, o Tribunal Regional Eleitoral mudou a expressão para anular

De acordo com o ex-procurador-geral do município, Ricardo Torres, atualmente na Secretaria de Governo, a situação ficou mais clara e para Zito e Guilherme não poderia ser melhor.

O ex-procurador também explicou que a agora ‘anulação’ atinge muito mais que as sentenças de Pedro Guimarães Junior que já eram de conhecimento da população.

A ‘sustação’ que agora, definitivamente, é ‘anulação’ decorreu do fato de que o TRE considerou que Pedro Guimarães Junior não poderia ter sentenciado qualquer coisa antes que o Tribunal decidisse se ele era ou não suspeito.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários