Judiciário

Prefeitos de Itapecuru e Miranda do Norte são cobrados sobre concurso público

Na manifestação do MP, é sugerido aos gestores que se abstenham de admitir profissionais para cargos técnico-profissionais.

A 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Itapecuru-Mirim emitiu, no último dia 7, Recomendação aos prefeitos de Itapecuru-Mirim, Magno Amorim, e Miranda do Norte, José Lourenço Bonfim Júnior, para que cumpram os preceitos constitucionais no que se refere ao concurso público como meio mais justo para o preenchimento de cargos na administração pública.

Na manifestação do Ministério Público, de autoria da promotora Theresa Muniz Ribeiro de La Iglesia, é sugerido aos gestores dos dois municípios que se abstenham de admitir profissionais para cargos técnico-profissionais, de cunho rotineiro ou de mero expediente, sem a prévia realização de concurso público. Para a promotora, esses servidores executam funções da rotina administrativa, que “são normais, burocráticas e permanentes para as finalidades da
administração”.

Portanto, não se enquadrariam nas exceções em que a Constituição prevê que haja admissão sem concurso, ou seja, para os cargos em comissão e para a contratação por tempo determinado que realize serviço de excepcional interesse público, como nos casos de epidemia ou calamidade pública.

Entre os cargos técnico-profissionais, estão os médicos, enfermeiros, dentistas, advogados; nos de cunho rotineiro, enquadram-se secretárias, digitadores, auxiliares administrativos; e nos cargos chamados de mero expediente, estão coordenadores, motoristas, zeladores.

A Recomendação orienta também que os prefeitos de Itapecuru-Mirim e Miranda do Norte deixem de criar cargos sem especificar detalhadamente as funções que devem ser desempenhadas.

Outro item do texto recomendatório propõe que eventuais leis municipais que ofendam os princípios da Constituição que obrigam o concurso público para suprimento de cargos de caráter permanente sejam identificadas e alteradas.

Os chefes dos Executivos de Itapecuru-Mirim e Miranda do Norte têm prazo de 10 dias úteis, a contar do recebimento, para que informem ao Ministério Público sobre as providências que estão sendo adotadas para o cumprimento da Recomendação.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Um comentário em “Prefeitos de Itapecuru e Miranda do Norte são cobrados sobre concurso público”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Anice Ribeiro

    Aí está certo! no caso de Miranda do Norte a situação é crítica, pelo fato de não haver ali a “Justiça” para cobrar diretamente do gestor as providências e tudo fica atoa. Essa determinação tem que ser cobrada, pois é um absurdo o número de funcionários fantasmas que “trabalham” na prefeitura. Só p/ se ter umaideia tem funcionário”fantasma” que sustenta 2 a 3 mulheres e ainda jogam propostas de empregos “fantasmas” para outras em troca de um romance. Isso é uma vergonha.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários