Judiciário

Mensalão: acusação de dirigente do PT para desacreditar STF é de suma gravidade

O Supremo Tribunal Federal anunciou do julgamento do ‘mensalão’ para primeiro de agosto.

Por Milton Corrêa da Costa

As recentes declarações públicas oriundas do deputado Federal André Vargas (PR), secretário nacional de comunicação do PT, numa cristalina tentativa de descreditar, perante à nação brasileira, a honradez do Supremo Tribunal Federal , a mais alta Corte da justiça brasileira, em razão do anúncio do julgamento do ‘mensalão’ para primeiro de agosto, constitui fato de suma gravidade e importa no pronunciamento do órgão máximo do judiciário, pois coloca em xeque a independência e a soberania da própria justiça, ferindo inclusive a honra e a austeridade de todos os ministros que o compõem.

Como se não bastasse a tentativa (antiética) do ex-presidente Lula para empurrar, para depois das eleições municipais, o julgamento do processo do ‘mensalão’, há mais de 5 anos em apuração, para fazer cair no esquecimento o maior escândalo da história republicana deste país, tentam atingir edesacreditar agora,perante a sociedade brasileira, a independência e a honradez do próprio Supremo Tribunal Federal. Observem a gravíssima acusação de que foi alvo o STF, tornada pública nos meios de comunicação social nesta sexta-feira 08 de junho e passada ao mundo:

Já imaginávamos que ia ter pressão, mas não imaginávamos que segmentos do Supremo seriam tão suscetíveis assim. Infelizmente , as ações do Supremo (PASMEM) não são cercadas de AUSTERIDADE exigida para uma Corte Suprema. Ministro do Supremo não é para ficar sendo aplaudido em restaurante por decisão contra o PT. Nos EUA, eles não podem nem tirar foto, mas aqui tem ministro do Supremo com vocação para pop star”, disse o deputado André Vargas.

Fica o referido parlamentar, caso não apresente provas da gravíssima acusação, sujeito obviamente a processo criminal e cível. Se não há austeridade (severidade, rigor) o STF é uma farsa? É isso que o parlamentar quer dizer? O Supremo Tribunal Federal,acusado de falta de austeridade, teria perdido então a condição ética para julgaralgumas estrelas do PT, acusadas de crime de peculato, de esquema de propina em dinheiro para corromper parlamentares, lavagem de dinheiro, enriquecimento ilícito e formação de quadrilha? Estaria colocada em xeque a soberania e a independência da justiça própria brasileira?

Para os que tentam, de todas as formas possíveis e antiéticas enlamear o STF e consequentemente a seriedade do julgamento esquema do ‘mensalão’ é bom lembrar que o anúncio da data de início do rumoroso escândalo é uma vitória da democracia e da sociedade brasileira que tem o direito de saber a verdade e de ver punidos, com o máximo rigor da lei, os que forem julgados culpados. Como bem disse o presidente do DEM, senador José Agripino (RN) “o julgamento do ‘mensalão’estabelecerá um marco no fim da impunidade. O símbolo da impunidade é o não julgamento do mensalão. Quando o Supremo marca uma data, a sociedade e a democracia brasileira marcam um gol”, declarou o senador.

Foi colocada em xeque, portanto, perante a nação brasileira, a honradez e a austeridade da mais alta corte da justiça brasileira, cujos integrantes não poderão calar-se neste instante, em nome da soberania e da independência do próprio órgão e da justiça, além da defesa da honra pessoal de cada um de seus integrantes. Com a palavra o Supremo Tribunal Federal. A sociedade brasileira quer a devida resposta sobre tão grave acusação e a melhor e pronta resposta, sem dúvida, é julgar, o mais breve possível, com a máxima isenção, independência, o mais vergonhoso e imundo escândalo da história republicana brasileira. A sociedade brasileira assim o exige.

Milton Corrêa da Costa é cidadão brasileiro que aguarda o julgamento do ‘mensalão’


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários