Crime

Corpo de criança de 10 anos é encontrado enterrado em quintal da casa onde morava

Nesta manhã de sexta-feira (03), a polícia encontrou o corpo da menina Alanna Ludmila Borges Pereira, de 10 anos, enterrado no quintal da casa onde morava. A garota estava desaparecida desde o dia 1º de novembro, última quarta-feira, quando a mãe da garota saiu para uma entrevista de emprego e ao retornar não encontrou a menina em casa.

Nos últimos dias, várias informações erradas foram veiculadas através de mensagens de whatsapp, o que dificultou o trabalho da polícia.

O corpo estava em um cova rasa coberta por entulho de material de construção, como telhas. O ex-namorado da mãe, Robert Oliveira, continua como principal suspeito do crime, de acordo com a delegada Eunice Rubem, titular da Delegacia do Maiobão.

No mesmo dia do desaparecimento, uma mochila da criança foi encontrada no Conjunto Upaon Açu, também no município de Paço do Lumiar. A mãe da menina saiu pela manhã para uma entrevista de emprego e deixou a criança em casa. Quando voltou, à tarde, não a encontrou mais.

“O corpo estava debaixo de telhas. Quando foi retirado o entulho, deu para aparecer parte do corpo dela. Uma vizinha disse que viu a criança sair de casa, então vamos verificar tudo, pois se a criança saiu ela deve ter voltado com alguém. Tudo vai ser objeto de investigação. Pode ser que ela tenha sido morta na quarta-feira (1º) ainda”, disse a delegada Eunice Rubem, titular da Delegacia do Maiobão, responsável pelas investigações.

Desaparecimento

A polícia informou que por volta das 9h de quarta-feira, 1º, Jaciane Borges teria ido a uma entrevista de emprego e acabou deixando a filha sozinha, trancada dentro de sua residência, onde havia uma chave reserva ao alcance da menor.

Ao voltar para casa, no período da tarde, a mulher não encontrou mais a filha. As portas e as janelas do imóvel não apresentavam sinais de arrombamento. Ainda segundo a polícia, a mãe da menor acredita que alguma pessoa conhecida da família a tenha levado.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários