Crime

Polícia Civil identifica autoria da morte de blogueiro no interior

A polícia já pediu a prisão preventiva do autor que, de acordo com as investigações, não está mais na cidade de Buriticupu.

Roberto Lano, blogueiro assassinado.

Roberto Lano, blogueiro assassinado.

A Polícia Civil, por meio da Superintendência de Homicídios do Maranhão, identificou a pessoa que efetuou os disparos que culminaram com o assassinato do blogueiro Orislândio Timóteo Araújo, o Roberto Lano, ocorrida na cidade maranhense de Buriticupu no dia 21 de outubro deste ano. Ainda de acordo com a polícia, apesar da identificação do crime, não é possível preliminarmente afirmar se o crime é de encomenda e divulgar o nome o autor.

De acordo com o delegado Leonardo Diniz, que coordena as investigações conduzidas pela Superintendência de Polícia Civil do Interior, a polícia já
pediu a prisão preventiva do autor que, de acordo com as investigações, não está mais na cidade de Buriticupu. “Estamos com dificuldades devido ao
feriado do Natal e o recesso da Justiça. No entanto, estamos avançando nas apurações e, em breve, deveremos apresentar concretamente o resultado
deste trabalho à sociedade”, afirmou.

Segundo a SHPP, a apuração do autor do crime somente foi possível após intenso trabalho na cidade onde ocorreu o crime. “A polícia foi mobilizada, com o encaminhamento de equipes até o local do delito para se saber as ligações da vítima com pessoas da região e quem, de fato, está ligado ao
assassinato”, disse o delegado que confirmou ainda a O Estado que as investigações ainda estão em andamento.

Sobre o caso da morte do também blogueiro Ítalo Diniz Barros, de 30 anos, na cidade maranhense de Governador Nunes Freire, no dia 13 de outubro deste ano, até o momento, a polícia ainda não tem informações sobre os autores do crime. “O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios, sob a responsabilidade do delegado Guilherme Sousa Filho. As investigações avançaram, no entanto, ainda não temos informações sobre
a autoria”, confirmou o delegado Leonardo Diniz.

Por fim, o delegado entende a cobrança feita pela sociedade, no sentido de elucidar o crime. No entanto, ele faz um alerta quanto, segundo ele, à
complexidade dos assassinatos. “É preciso entender que se tratam de crimes complexos, que necessitam de apurações para que se possa informar
sobre os autores”, informou.

Com informações do Imirante


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários