Crime

Homem mata cachorro a marteladas e é preso

Ele confessou que usou martelo de ferro para cometer maus-tratos. Segundo a Polícia Civil, acusado tinha sinais de embriaguez alcoólica.

Homem confessou que usou martelo de ferro para cometer o crime (Foto: Divulgação / Delegacia de Meio Ambiente)

Homem confessou que usou martelo de ferro para
cometer o crime (Foto: Divulgação / Delegacia de
Meio Ambiente)

A Delegacia Especializada de Meio Ambiente autuou, em flagrante, um homem por maus-tratos a um cachorro em São Luís. O caso aconteceu na última quinta-feira (11), no bairro do Cruzeiro do Anil: o acusado, A.B.F., de 50 anos, matou o animal com o martelo de ferro. O caso chegou à delegacia somente nessa sexta-feira (12).

“Chegou a denúncia aqui à delegacia desse caso, de um homem que utilizou uma barra de madeira, um martelo de ferro, para matar um cachorro na rua onde ele reside. Ele tomou umas cachaças, o cachorro latiu para ele e, então, ele deu várias marteladas na cabeça do animal”, explicou, ao G1, o delegado titular Sebastião Uchôa.

Agora, o acusado vai responder pelo crime de maus-tratos a animais. “Fizemos a condução dele e ele confessou o crime”, completa. Ele assinou um termo de compromisso e foi liberado, conforme determina a Lei nº 9.065/98.
De acordo com o delegado, ele deve prestar serviços à comunidade.

O dono do animal – um morador de rua – e uma testemunha vão comparecer à delegacia, na segunda-feira (15), para depor e auxiliar a Polícia Civil a reunir mais provas. O Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) fica pronto até quarta-feira (17) e, com isso, a audiência no Juizado de Pequenas Causas já foi marcado para 20 de julho.

Outros casos
Delegacia de Meio Ambiente investiga outros dois casos de maus-tratos a animais acontecidos nesta semana, na Região Metropolitana de São Luís. No bairro do Bequimão, um suspeito é procurado após esfaquear um animal.
Já no Cohatrac, um policial militar, também, é investigado por maus-tratos. (Do G1MA).


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários