Crime

Homofobia: gay é impedido de comprar produto

Júnior Cabeleireiro

Júnior Cabeleireiro

Joacenio da Silva, 30 anos, mais conhecido por Júnior Cabeleireiro, foi impedido de comprar uma cadeira de espaguete pelo simples fato de ser gay em plena Praça Pública.

Aconteceu na Praça Honório Santos, quando o vendedor da loja Credlar, que vende mensalmente cadeiras de espaguete na cidade, recusou a vender uma cadeira, justificando que Junior era gay e que não vendia para gays porque ‘eles não têm dinheiro e principalmente não tem residência fixa’.

O preconceito por parte do vendedor foi presenciado por diversas pessoas que passavam e que almoçavam no box da Letinha.

No momento, estavam o promotor de justiça Dr. Charles Antônio e o Juiz de Direito Sergio Fortes, que ao perceber o que estava ocorrendo, orientou Júnior Cabelereiro a registrar um Boletim de Ocorrência na delegacia mais próxima do local.

Casos iguais ou até pior acontecem diariamente por todo o Brasil, como se observa também o recente assassinato do jovem Alexandre Ivo, 14, que foi sequestrado por um grupo de skinheads jovens enquanto esperava o ônibus, em São Gonçalo.

(Do Portal AZ)


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários