Brasil

O aumento dos acidentes nas estradas, as carretas desgovernadas e os velozes e furiosos

Alegando falha mecânica (falta de freios) avançou três sinais, colidiu com vários carros e matou três pessoas.

Por Milton Corrêa da Costa

O número de acidentes, nas estradas federais, no recente feriado de Corpus Christi, cresceu 38% em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 160 óbitos ( 44 a mais), sem falar nos feridos gravemente, contra 116 do ano de 2011. A Polícia Rodoviária Federal atribuiu o crescimento dos acidentes fatais ao mau tempo registrado em muitas regiões do país. Por mais que as condições climáticas tenham influenciado no aumento dos óbitos, a imprudência, a ilusão de invulnerabilidade e o desrespeito às normas de trânsito continuam sendo, não há dúvida, as principais causas da brabárie do trânsito brasileiro. Registre-se que durante o recente feriasdão atores de televisão, entre outras celebridades, ( QUEM CUMPRE A LEI NÃO DEVERIA TEMÊ-LA) continuaram dando mau exemplo, negando-se a se submeter ao teste do bafômetro.

Por sua vez, as CARRETAS DESGOVERNADAS também prosseguiram dando causa a tragédias em rodovias e vias urbanas. Ressalte-se o grave acidente, da semana passada, em Belo Horizonte, onde na capital mineira três pessoas forma mortas por uma carreta sem controle, onde o motorista havia sido multado momentos antes numa rodovia por excesso de peso na carga transportada. Alegando falha mecânica (falta de freios) avançou três sinais, colidiu com vários carros e matou três pessoas, dentre elas um jovem casal de namorados, no interior de um veículo.Mais um homicida do volante que agora responderá por crime doloso.

Na madrugada de terça-feira, 12/06, um outro grave acidente matou pelos menos 10 pessoas, passageiros de uma van de turismo. A tragédia ocorreu numa rodovia federal em Nova Laranjeiras, na região central do Paraná. Segundo a Polícia Rodoviária Federal o motorista do caminhão ( e quase sempre o mesmo relato) perdeu o controle do veículo, invadiu a pista contrária e bateu de frente com a van. Resultou ferido e foi encaminhado ao hospital. Outro homicida entregue agora à benevolência da lei penal brasileira.

Para comprovar que a vida imita a arte, um cena cinematográfica, que nada fica a a dever às mais impresionantes e violentas cenas de filme de perseguição policial, um veículo, cujo velocímetro marcava mais de 130km/h ( a televisão mostrou), após invadir a contramão de direção na noite do ultimo domingo, 10/06, na rodovia Niterói- Manilha (RJ), DECOLOU e caiu sobre o teto de uma van lotada ( a foto impressiona) matando três de seus passageiros e ferindo cinco, que regressavam de uma festa. Mais um irresponsável, assassino do volante, agora sob a custódia da justiça.

Parece mesmo que não há mais o que se fazer para frear os irresponsáveis,os velozes e os furiosos do volante. Relatos de tragédias no trânsito brasileiro prosseguem no cotidiano da barbárie de rodovias e vias urbanas. O relato que se segue, sobre a dinâmica do acidente da Niterói- Manilha, não deixa dúvidas sobre a impotência da sociedade e de governos ante tão grave problemática. Não adianta cuidar e preocupar-se só com o meio ambiente se continuamos, num coomportamento anticidadão, matando e morrendo no trânsito como se fossemos seres não civilizados. Para nossa reflexão vejamos agora o relato de um impressionante acidente. Até quando?

VELOCÍMETRO DE VEÍCULO QUE DECOLOUEM ACIDENTE EM NITERÓI MARCAVA 130 km/h

Rio – Um grave acidente envolvendo três veículos, na pista sentido Itaboraí da Rodovia Niterói-Manilha, em Neves, São Gonçalo, deixou três pessoas mortas e cinco feridas na noite de domingo (10/06). Um velocímetro encontrado pelos agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no local da colisão marcava 130 km/h. De acordo com a polícia, o motorista do carro desgovernado após um choque NÃO POSSUI CARTEIRA DE HABILITAÇÃO.

Entre os feridos, quatro pessoas já receberam alta hospitalar. Apenas Wesley da Silva permanece internado no Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, em Niterói. O acidente começou com um veículo de passeio desgovernado – por ter sido atingido por outro carro – que invadiu a pista sentido contrário, decolou e ceiu no teto de uma van de lotada. Os dois carros se arrastaram engatados por cerca de 200 metros. Três feridos foram lançados para fora do carro. A pista ficou interditada por quatro horas e meia.

A colisão ocorreu por volta das 21h30, no km 319, na divisa dos município de Niterói e São Gonçalo. Segundo informações da PRF, a Fiat Tipo placa LAN-0377, com seis pessoas a bordo, seguia no sentido Niterói da rodovia. Na altura da passarela de Neves, em São Gonçalo, o motorista perdeu a direção, destruiu a tela de proteção e invadiu a pista sentido Itaboraí, decolou e bateu de frente na van placa LPE-9696. Uma kombi também foi atingida de raspão, mas ninguém do veículo se feriu.

Em entrevista à Rádio CBN, o agente da PRF Alexandre Esaú disse que o primeiro cenário ao chegar ao local do acidente foi encontrar os feridos no asfalto e os mortos nas ferragens. O motorista da Fiat contou ao policial que foi atingido na traseira por uma Fiat Stilo prata e perdeu o controle do carro. “Ele disse que não tinha a CNH (Carteira Nacional de habilitação) e não apresentou o documento. Estamos checando a veracidade dessa informação”, informou o inspetor.

O carro ficou sobre a van e os dois veículos foram parar acoplados a cerca de 100 metros do local da batida. Na pista ficaram destroços dos dois veículos, como uma das portas da van e a porta traseira e uma caixa de som do carro, além de peças de roupas. Três dos cinco feridos que estavam na van foram projetados para fora do veículo. Eles foram socorridos por ambulâncias da concessionária Autopista Fluminense e levados para o Azevedo Lima. A empresa informou que duas delas estão internadas em estado grave e três tiveram ferimentos moderados.

O motorista da van Jackson Sandro da Silva e a mulher dele, Flávia Nascimento, e uma mulher identificada até o momento apenas como Vanessa, que estava na Fiat, morreram nna hora presos às ferragens. Segundo conhecidos do casal, eles voltavam de uma festa. O clima no local era de comoção entre parentes e amigos das vítimas que estiveram no local.

“Foi um estrondo muito alto. Depois que destruiu a tela e tocou na grama a Fiat voou e caiu de frente no parabrisa da van. Os parentes que estiveram aqui estavam desesperados. Uma cena muito triste”, disse o frentista de um posto de combustíveis que fica em frente do local onde houve a colisão. Ainda segundo ele e outros frentistas, o trecho da Niterói-Manilha entre um quartel da Marinha e a Avenida do Contorno é considerado crítico devido ao grande índice de acidentes.

Por causa do acidente o trânsito foi desviado para uma pista auxiliar. O congestionamento chegou a cerca de três quilômetros. Ainda de acordo com a Autopista Fluminense, o trânsito foi totalmente liberado na pista a limpeza da via e a retirada dos veículos. A ocorrência foi registrada na 73ª DP (Neves).

Milton Corrêa da Costa é coronel da reserva da PM do Rio de Janeiro e articulista da ABETRAN.


Acompanhe o Blog do Neto Ferreira também pelo Twitter™ e pelo Facebook.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários